Slide

Rosemary pediu saída de chefe da CGU por incomodar petistas paulistas

A ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo Rosemary Noronha usou a estrutura do órgão, em junho de 2004, para articular a derrubada do então chefe da Controladoria-Geral da União (CGU) no estado, João Delfino Rezende de Pádua. De acordo com a Folha, o dirigente do órgão que combate a corrupção com verbas federais, na época, contrariava interesses do PT. O pedido para a troca teria partido do ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), Paulo Vieira, indiciado com Rosemary após a Operação Porto Seguro, da Polícia Federal (PF). Segundo a publicão, em uma troca de e-mails em 8 de junho daquele ano, Vieira encaminhou a Rosemary, com “saudações petistas”, um relato do descontentamento de setores da sigla com o controlador, que havia sido nomeado em fevereiro do mesmo ano. Vieira reclama na mensagem que, após Pádua assumir, afastou quatro pessoas ligadas ao PT dos cargos comissionados da CGU em São Paulo. De acordo com o documento, após a posse de Pádua, entidades comandadas pelo PT paulista passaram a sofrer “perseguições” da CGU. O advogado de Rosemary Noronha, Celso Vilardi, disse nesta quinta-feira (20) que não comentaria a atuação da cliente na tentativa de trocar o comando da CGU.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo