Cidades

Resultado de perícia detalhada contesta hipótese de suicídio de promotor argentino

PROMOTOR - ARGENTINOO resultado de uma perícia detalhada no corpo do promotor argentino Alberto Nisman, encontrado morto na última segunda-feira (19) em seu apartamento, aponta que o tiro que o matou foi disparado a uma distância de 15 a 20 centímetros. De acordo com o jornal O Globo, especialistas afirmam que a revelação contraria a hipótese de suicídio, que foi questionada pela própria presidente da Argentina, Cristina Kirchner, a quem Nisman acusaria, horas depois de ser encontrado morto, de encobrir terroristas iranianos que atacaram a Asociación Mutual Israelita Argentina (Amia) em 1994, deixando 85 mortos. A juíza Sandra Salgado, que cuida do caso, pedirá também nova autópsia para determinar se a arma, de calibre 22, foi apoiada na cabeça do promotor. O técnico de informática da promotoria, Diego Lagomarsino, que afirma ter emprestado a arma a Nisman a pedido dele, para que pudesse se defender, está sob proteção policial e proibido de deixar o país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo