EntretenimentoGeral

‘Quanto mais velho, melhor de cama’, diz musa de Parintins no Paparazzo

MUSAS - MANAUSDurante 362 dias do ano, Maria Azêdo e Tatiane Barros são, respectivamente, nutricionista e fisioterapeuta da cidade de Manaus. Nos três dias que restam, as morenas encaram indumentárias minúsculas para brilhar em um bumbódromo: elas são as cunhãs-porangas (mulher bonita, em tupi-guarani) no Festival Folclórico de Parintins, que este ano acontece nos dias 28, 29 e 30 de junho. Para entender a responsabilidade da dupla, é preciso lembrar o tamanho dessa festa, realizada todos os anos na cidade de mesmo nome, no interior do Amazonas. Famoso por ser uma das maiores expressões da cultura brasileira desde 1965, o evento costuma reunir cerca de 35 mil pessoas. São sempre três noites de apresentação, na qual os dois bois rivais da cidade contam a lenda de Catirina, uma mulher grávida que sofre com o desejo de comer língua do boi. As agremiações desfilam por quase três horas, ricas em alegorias, cores, música e dança. Suas cunhãs-porangas estão ali para encantar os jurados e representar a força da aldeia em forma de beleza. Por isso que Maria, do Boi Caprichoso (azul), e Tatiane, do Garantido (vermelho), foram convocadas para mostrar às lentes do Paparazzo a mesma sensualidade que elas exalam ao hipnotizar o júri e o público do evento. Ao longo do ensaio, feito na Restinga de Marambaia, no Rio de Janeiro, as amazonenses falaram sobre suas infalíveis estratégias de sedução também na hora ”H”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo