Cotidiano

PT vê conluio de Moro com PF e nega ligação com hacker: ‘Armação contra o partido’

Em texto assinado pela presidente Gleise Hoffmann, o Partido dos Trabalhadores negou qualquer ligação com os suspeitos de hackearam os telefones do ministro Sergio Moro e de outras autoridades. Na nota publicada nesta quarta-feira (24), a legenda acusa o ex-juiz da Lava Jato de comandar a “investigação da Polícia Federal” para orquestrar uma “armação”.

“O ministro Sergio Moro, responsável pela farsa judicial contra o ex-presidente Lula, comanda agora um inquérito da Polícia Federal com o claro objetivo de produzir mais uma armação contra o PT.”, diz o texto.

O PT argumenta que a prisão dos suspeitos na verdade só comprovam a autenticidade do conteúdo das mensagens, supostamente trocadas entre Moro e membros da Força-Tarefa da Lava Jato. O ministro nomeado por Bolsonaro, por sua vez, nunca reconheceu a veracidade das conversas, mas sempre afirmou que não via ilegalidade no material obtido pelo The Intercept Brasil.

A legenda diz que o ex-juiz está “acuado” e passa a repetir “seus conhecidos métodos” para atribuir ao PT um caso em que o próprio é responsável por dar explicações.

Por fim, o partido reforça que irá buscar as “medidas judiciais cabíveis” contra os autores da “farsa”, e novamente diz que Moro é quem deve explicar “ao país e à Justiça”, as mensagens vazadas.

Leia a nota na íntegra:

NOTA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES

INQUÉRITO DE MORO É MAIS UMA ARMAÇÃO CONTRA O PT

O ministro Sergio Moro, responsável pela farsa judicial contra o ex-presidente Lula, comanda agora um inquérito da Polícia Federal com o claro objetivo de produzir mais uma armação contra o PT.

As investigações da PF sobre as pessoas presas em São Paulo confirmam a autenticidade das conversas ilegais e escandalosas que Moro tentou desqualificar nas últimas semanas.

Acuado, o ex-juiz repete seus conhecidos métodos: prisões espetaculares e vazamentos direcionados contra seus adversários. É criminosa a tentativa de envolver o PT num caso em que é Moro que tem de explicar e em que o maior implicado é filiado ao DEM.

O PT sempre foi alvo desse tipo de farsa, como ocorreu na véspera da eleição presidencial de 1989, quando a polícia vestiu camisetas do partido nos sequestradores do empresário Abílio Diniz antes de apresentá-los à imprensa.

O PT tomará as medidas judiciais cabíveis contra os agentes e os responsáveis por mais esta farsa. Quem deve explicações ao país e à Justiça é Sergio Moro, não quem denuncia seus crimes.

Brasília, 24 de julho de 2019

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT

Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara dos Deputados

Humberto Costa, líder do PT no Senado Federal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo