Cidades

Propina para a Petrobras foi alvo de assalto em 2011; após prisão, dinheiro ‘desapareceu’

MALA DINHEIROJoão Bernardi Filho, funcionário da fornecedora de equipamentos de petróleo Saipem, foi alvo de uma saidinha bancária em outubro de 2011. No dia do assalto, ele saiu da agência do Citibank no Centro do Rio de Janeiro com R$ 100 mil em uma valise.

A vítima afirmou para a polícia, na época, que o valor se referia a um empréstimo, mas para o Ministério Público Federal seria para o pagamento de propina ao então diretor de serviços da Petrobras, Renato Duque. O objetivo seria o favorecimento da Saipem na licitação para a instalação de um gasoduto submarino, contrato que chegou a R$ 249 milhões. No dia do assalto, Bernardi carregava a valise – supostamente em direção à sede da estatal – quando foi rendido por Fernando Lourenço Lopes, de 27 anos.

Segundo a Folha de S. Paulo, um policial militar viu a ação e correu atrás do assaltante. Lopes tentou atirar, mas a arma travou e ele acabou sendo atingido por um tiro na perna, disparado pelo PM. Quando Lopes caiu, cerca de R$ 47 mil teria se espalhado pelo chão e o resto “desaparecido”. Segundo o MPF, Bernardi visitou Duque um dia após o ocorrido, quando teria entregue a propina.

O roubo do valor teria levantado suspeitas dos procuradores em relação às visitas de Bernardi, que acabou preso em junho deste ano, acusado de corrupção, lavagem de dinheiro e ocultação de bens. Condenado, Lopes conseguiu migrar para o regime semiaberto em 2014. Após receber autorização para visitar a família, ele fugiu e agora é considerado foragido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar