Cotidiano

Promotora é censurada por não alegar suspeição ao investigar posto de gasolina do pai

A promotora Stella Athanázio de Oliveira Santos foi censurada pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) por não se declarar impedida ou suspeita na investigação envolvendo posto de gasolina da família, na cidade de Correntina, no oeste da Bahia.

A pena foi aplicada na última segunda-feira (30), na primeira sessão plenária do órgão no ano de 2017. A promotora integra o Ministério Público da Bahia (MP-BA). O CNMP ainda considerou parcialmente procedente o pedido de revisão do processo disciplinar proposto pela Corregedoria do MP-BA, que visa reverter a absolvição da promotora, proferida pelo Órgão Especial do Colégio de Procuradores do parquet baiano.

Segundo o relator, conselheiro Fábio Stica, a promotora deveria ter se declarado impedida para investigar o posto de gasolina de propriedade de seu pai e marido, como determina a Lei Orgânica do Ministério Público. A investigação visava apurar venda de combustível para prefeitura de Correntina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo