Sem categoria

Professores da Ufba decidem manter a paralisação

Os professores da Universidade Federal da Bahia (Ufba) decidiram na quarta-feira, 25, em assembleia, continuar com a greve, que já dura 58 dias. O comando do movimento também não aceitou a proposta apresentada na véspera pelo governo – anunciando reajustes salariais entre 25% e 40% para os professores, valores a serem distribuídos nos próximos três anos. “Essa proposta nos trará perdas salariais até 2015, pois o reajuste não contempla a inflação do período. Além disso, ela desestrutura a carreira dos docentes e não contempla melhorias nas condições de trabalho”, argumentou o professor Jair Batista, que preside a comissão de comunicação do comando de greve. Segundo Batista, uma nova assembleia da categoria só será agendada após a reunião que o comando nacional de greve terá com o governo, na próxima quarta, dia 1º de agosto. Ele confirmou que o novo calendário de aulas será pauta de discussão do Conselho Universitário somente depois que a greve for encerrada. O Sindicato dos Professores das Instituições Federais de Ensino Superior da Bahia (Apub-Sindicato) tem 2.800 associados, segundo seu diretor acadêmico, professor João Augusto Rocha. Na assembleia de quarta, realizada no auditório da Faculdade de Arquitetura, na Federação, 170 estiveram presentes. (A Tarde)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo