Cotidiano

Presidente do Quênia promete resposta 'severa' ao ataque que matou 148 pessoas

UHURU KENIATAO presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, prometeu neste sábado (4) responder “o mais severamente possível” ao ataque à Universidade de Garissa, onde 148 pessoas foram mortas por extremistas islâmicos. Ele assegurou que o seu país “não se curvará” perante a ameaça do grupo somali Al Shebab de “promover um banho de sangue no país”. “O meu governo responderá o mais severamente possível ao ataque e a qualquer ataque que nos tenha como alvo”, afirmou Kenyatta, na sua primeira declaração pública desde que terminou, na sexta-feira (3), a operação das forças de segurança relativa ao atentado. “Apesar da adversidade, nunca nos curvamos e não desistiremos nunca. Continuaremos a construir uma nação próspera e segura”, acrescentou o presidente queniano. Segundo a Agência Brasil, Kenyatta decretou três dias de luto nacional, pelo ataque de quinta-feira (2), que vitimou principalmente estudantes da Universidade de Garissa. “O combate ao terrorismo tornou-se particularmente difícil, pois os que o organizam e financiam estão profundamente inseridos nas nossas comunidades”, disse o presidente. “A radicalização que alimenta o terrorismo ocorre em pleno dia, nas escolas corânicas, nas casas e nas mesquitas com imãs sem escrúpulos”, alertou. O dirigente apelou para que “todos os quenianos, todas as igrejas e todos os dirigentes” falem “alto e forte a favor da unidade [do país]”, de modo que a sua “cólera, justificada, não leve à estigmatização de ninguém”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo