Cidades

Prefeita de Riachão do Jacuípe cobra ajuda do governo estadual: ‘precisa se sensibilizar’

RIACHAO DO JACUIPE - ENCHENTEA prefeita de Riachão do Jacuípe, Tânia Regina, afirma que o município precisa “de socorro urgente” dos governos federal e estadual. Em entrevista neste domingo (24), Tânia desabafou, se disse “cansada” e cobrou maior assistência das autoridades ao município que desde a madrugada de sexta-feira (22) é castigado severamente por fortes chuvas. “O governo estadual ainda não sinalizou nada.

Leia mais

Ladrões rendem caminhoneiros e roubam roupões da temporada 2016 do BBB

Prefeitura da Bahia prorroga prazo de inscrição para concurso; salários chegam a R$ 2.267

Eu já estou cansada, pois desde 2h da manhã de sexta estamos nessa luta, nessa batalha. Nós precisamos que o governo federal e o governo estadual se sensibilizem”, pediu. Segundo a Tânia, a prefeitura tem arcado sozinha com gastos como cestas básicas doadas e custeio de três refeições diárias aos mais de 3 mil desabrigados. Ela relembrou que, em tempos de crise econômica para os municípios, gastos desta ordem pesam ainda mais aos cofres.

Sem o apoio das autoridades, os moradores contam com a solidariedade da população jacuipense e baiana. “Nós estamos atendendo as famílias que estão desalojadas. Estamos distribuindo cestas básicas, a prefeitura está fornecendo três refeições, colchões, roupas doadas”, afirmou. Ainda segundo Tânia, o governador Rui Costa entrou em contato com ela para saber como anda a situação na região. “O governador ligou para saber como está a situação. Eu solicitei ajuda a ele, inclusive estamos fazendo todo o levantamento para que eles se sensibilizem”, explicou.

Leia mais

População se revolta, queima casa do Prefeito e a câmara municipal

Maxi Biancucchi e Ávine estão afastados do elenco do Bahia

De acordo com a prefeita, os cinco bairros atingidos pela chuva estão “completamente destruídos” e um levantamento de quanto deverá ser gasto na reconstrução das localidades está sendo feito. “Estamos nos reunindo agora pela noite para computar todos os dados, para fazermos o levantamento de quanto a gente precisa”, afirmou. Até o momento, o balanço das chuvas na cidade é de mais de 600 famílias desabrigadas e uma morte por afogamento.

O corpo de um idoso não identificado foi encontrado neste domingo (24) em um açude no povoado de Campo Alegre. Ainda segundo a prefeita, o abastecimento de água, interrompido pelo rompimento de uma adutora, está sendo restabelecido pela Embasa. A preocupação agora é com novas tempestades que podem aumentar o nível do rio Jacuípe e agravar a situação. “O rio já baixou um pouco, mas choveu muito agora pela tarde. E, provavelmente, deve chegar mais água na cabeceira do rio.

A gente reza para que não”, espera a prefeita que, sem saber como conter a fúria da natureza, recorre ao sobrenatural.

BN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar