BrasilGeral

Por que Putin ainda não se vacinou com a Sputnik V

O presidente russo Vladimir Putin ainda não foi vacinado contra o novo coronavírus, meses depois de anunciar a Sputnik V, produzida em seu país, como a primeira vacina aprovada do mundo para a Covid-19 e dizer que sua própria filha a havia tomado. 

Putin, de 68 anos, pertence a um grupo de alto risco. Os testes de vacinas para o primeiro grupo de voluntários com 60 anos ou mais começaram em 28 de outubro, de acordo com a agência estatal russa Tass, mas autoridades do país descartam que o presidente seja um voluntário.

O Kremlin disse na terça-feira que Putin não pode receber a aplicação de uma vacina que ainda não tenha concluído a fase final dos testes, embora o imunizante já tenha sido aplicado em alguns profissionais de saúde russos, professores e vários funcionários de alto escalão fora dos testes clínicos.

“O presidente não pode usar uma vacina não certificada”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, durante uma ligação com repórteres. Peskov não explicou a diferença entre a vacina ser “certificada” e “aprovada”, mas disse: “a vacinação em massa ainda não começou. E, claro, o chefe de estado não pode participar da vacinação como voluntário. É impossível.”

Peskov disse que os testes devem ser concluídos em breve e que Putin informará as pessoas sobre sua decisão de tomar a vacina “se considerar necessário”.

Putin anunciou pela primeira vez que a vacina da Rússia foi aprovada para uso público em agosto, embora naquele momento ela tivesse sido testada apenas em várias dezenas de indivíduos em um estudo não cego. O anúncio foi feito antes do início dos testes de Fase 3, que são fundamentais para estabelecer sua segurança e eficácia, e atraiu ceticismo da comunidade internacional.

“Sei que funciona de maneira bastante eficaz, forma uma imunidade estável”, disse Putin na época, acrescentando que uma de suas filhas já havia recebido a vacina – uma postura rara do presidente, que é notoriamente reservado sobre sua família. Ele disse que ela teve uma temperatura ligeiramente mais alta após cada dose, mas acrescentou “agora ela se sente bem”.

CNN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar