Geral

Polícia pede exame de DNA em feto de adolescente morta em chacina em Feira de Santana

Acusado dos crimes, diz não saber o que o levou a cometer a chacina.

Foto: Ed Santos / Acorda Cidade

A investigação da chacina no residencial Alto do Rosário, em Feira de Santana, em que um homem ateou fogo em uma casa e matou cinco pessoas da família carbonizadas, não terminou, com a prisão dele nesta sexta-feira (6). A polícia prossegue com as apurações em busca dos fatores que teriam motivado a ação de Gilson de Jesus Moura, 49 anos, na madrugada da última quarta-feira (4).

Uma das motivações, segundo o delegado João Rodrigo Uzzum, coordenador Regional de Polícia, pode ter sido ciúmes da esposa, que também é irmã materna de Gilson. Também por motivos de ciúmes, há cerca de dez anos, ele a feriu com duas facadas nas costas na Feirinha da Estação Nova ao vê-la com outro homem.

Além disso, a polícia chegou à hipótese de que o bebê que a enteada Emile de Jesus Moura, 16 anos, estava esperando podia ser do acusado. Ela estava grávida de cinco meses quando morreu queimada no incêndio juntamente com o filho Enzo e os irmãos Thays de Jesus Moura, 13 anos, Carlos Alexsandro de Jesus Moura, 9 anos, e Xayane Vitória de Jesus Moura, 8 anos, filhos de Gilson.

“Existe uma suspeita, que temos que verificar, de que o feto que estava no ventre da adolescente que morreu queimada podia ser filho de Gilson. É uma linha de investigação e estamos aguardando o exame de DNA para tirar esta dúvida. É uma hipótese aventada dentro do contexto investigatório, e é necessário realizarmos estes exames para que possamos descartar outras possibilidades acerca desta chacina”, ressaltou o delegado. O acusado nega.

No depoimento, o acusado afirma que não se lembra dos motivos que o levou a cometer a chacina. No entanto, segundo o delegado, ele deixou claro que a motivação do crime teria sido uma questão de ciúmes.

“Ele tinha ciúmes da companheira. Ela havia ingerido bebida alcoólica numa determinada data, estava se divertindo com os amigos e isso incomodou muito ele. Há pouco tempo, houve uma discussão por causa de um dinheiro que ela havia recebido e há uma grande possibilidade de ele ter se apossado do dinheiro para reformar o veículo dele. Então todas as questões, sem dúvida nenhuma, levaram este indivíduo a praticar este ato bárbaro. Não há dúvida de que ele premeditou tudo o que aconteceu ali. Ele confessou que há cerca de dez anos, na feirinha da Estação Nova, aqui em Feira de Santana, ele se deparou com Cristina numa situação que provocou-lhe ciúmes e a feriu com duas facadas nas costas. Depois foi à residência do casal e quebrou tudo dentro de casa. Então a gente verifica que existe um histórico de violência contra a mulher”, informou o coordenador de polícia.

Gilson foi preso na manhã desta sexta-feira (6), no Marajó, em Feira de Santana, após denúncia anônima feita à polícia. Ele estava tentando fugir quando foi abordado pelos policiais da 64ª Companhia Independente da Polícia Militar. As sobreviventes do incêndio Ana Cristina de Jesus, 37 anos, e Aila Daniela de Jesus Moura, 3 anos, estão internadas no hospital, sem previsão de alta. Acorda Cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar