Cotidiano

Pedágio da Ponte Salvador-Itaparica deve ter preços de R$ 22 a R$ 110 e desconto em bate-volta

A ponte Salvador-Itaparica ainda não saiu do papel, mas o governo do estado já trabalha com uma linha de valores com possibilidade de serem praticados no pedágio do empreendimento. A gestão estadual realizou uma audiência pública nesta quinta-feira (21) para discutir a obra e revelou as possíveis taxas do pedágio.

 

Para atravessar os aproximados 12 quilômetros de ponte, carros deverão pagar R$ 45 em dias úteis. O valor já era conhecido e foi adiantado no Bahia Notícias pelo vice-governador João Leão. A novidade fica por conta de um desconto especial que será dado a motoristas de automóveis que voltarem ao pedágio em menos de 24 horas.

 

Quem fizer o comumente chamado “bate-volta” para a ilha, de carro, pagará o valor diferenciado de R$ 25 ao voltar, o que representa um desconto de aproximadamente 40% do valor total apresentado. O governo do estado também planeja criar uma linha de ônibus destinada para moradores de da Ilha de Itaparica que deve cobrar R$ 5 pela travessia.

 

Já os motociclistas devem desembolsar R$ 22,50 no pedágio e R$ 12,50, caso voltem em menos de 24 horas ao local. O maior valor será cobrado para a travessia de caminhões. A taxa para os veículos pesados chega até a R$ 110. Confira a tabela completa de preços do pedágio, divulgada pelo governo nesta quinta:

O coordenador da proposta de interesses de estudos da ponte, Paulo Henrique, admitiu nesta tarde que os valores do pedágio serão “salgados”, mas que serão mais baratos em relação a outras opções de chegada na Ilha e menores do que outros praticados pelo Brasil.

 

“O pedágio será salgado, mas esse será um preço competitivo em relação ao Sistema ferry-boat ou quem escolhe a BR-324”, disse. Pelos cálculos da Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra), a travessia pela ponte trará economia de R$ 32 em combustível comparada à viagem pela BR-324, que chega a 194 Km para quem pega a BR-101. A pasta exaltou também economias de tempo e com custos com manutenção pela escolha do trajeto de 12 km de ponte.

 

A audiência pública desta tarde não revelou os valores que podem ser cobrados em finais de semana e feriados. De acordo com o vice-governador João Leão, os preços finais só serão definidos quando for concluída a fase de licitação.

BN

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar