Slide

Para tratar a celulite é preciso aliar hábitos saudáveis e tecnologias

CELULITEHerança genética, alteração hormonal por uso de anticoncepcionais, alimentação rica em gordura e pobre em fibras e sedentarismo. Essas são as principais causas de um mal que atinge 8 em cada 10 mulheres: a celulite. “Alguns hábitos podem ajudar a melhorar a celulite e eles devem ser introduzidos conjuntamente ao tratamento com tecnologias”, explica o dermatologista Dr. Abdo Salomão, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia.

De acordo com o dermatologista, glúteos, coxas e pernas (abaixo do joelho) são as áreas com maior incidência. “Basicamente, os hormônios femininos predispõem gordura nas regiões dos quadris e coxas. E onde existe um acúmulo maior de gordura, existe maior probabilidade de celulite. A gordura comprime as veias e os canais linfáticos, o que causa um inchaço no local. Então, a pouca circulação agrava mais ainda a celulite.

A partir daí, surge um círculo vicioso que, se não for tratado corretamente, pode permanecer para sempre”, alerta. “A calça apertada pode potencializar o problema, pois dificulta o retorno venoso e linfático das pernas. Os outros vilões são sobrepeso, gordura localizada e alimentação pobre em proteínas”, explica.

Para tratar, é necessário adotar hábitos mais saudáveis, como atividade física e alimentação rica em fibras e proteínas, e investir em tratamentos com multitecnologias em um mesmo aparelho, como o Powershape, que apresenta resultados visíveis já nas primeiras sessões. “O equipamento trabalha com ultrassom cavitacional, radiofrequência multipolar, LED e sistema pneumático de endermologia”, explica.

Segundo o dermatologista, por meio de um aplicador corporal, Power Shape libera energia térmica, que penetra no tecido subcutâneo, atingindo a derme profunda. “Um sistema pneumático patenteado promove drenagem linfática vigorosa, ao mesmo tempo em que entra em cena a ação da radiofrequência, que aquece e aumenta a temperatura no interior das células adipócitas, alterando a permeabilidade da membrana e drenando a gordura que está no seu interior (que é eliminada pelo próprio organismo). Para otimizar todo o processo, a luz de LED promove uma fotobiomodulação dos tecidos, que também realiza a renovação celular”, explica.

O equipamento trata celulite de graus I a III. São indicadas, em média, 8 sessões, duas por semana. “Porém os resultados já são visíveis nas primeiras sessões”, explica. O tratamento pode ser feito em qualquer época do ano.

Leia mais

Diretor da Agerba admite que ferry-boat é ‘calcanhar de aquiles’ do governo. Alba quer criar Conselho

Dilma só volta se houver ‘acidente de percurso’, diz Padilha

Temer tem prazo de cinco dias para se manifestar em ação no STF

Vina Calmon faz fila andar e aparece com novo amor

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo