Esportes

Para estimular o jogo limpo, CBF anuncia criação do cartão verde

A Confederação Brasileira de Futebol anunciou uma novidade para 2017. Nas partidas da Copa Verde, competição disputada por equipes do Norte do Brasil, haverá o cartão verde, além do amarelo e do vermelho.

Porém, o novo artifício será usado de forma positiva. Os jogadores que realizarem ações de fair-play durante as partidas receberão o cartão verde como uma “homenagem” pelo bom comportamento e, inclusive, o fato será citado na súmula dos duelos.

A ideia nasceu no último ano e agora, com a aprovação da Fifa, será testada no torneio regional, que teve uma fase preliminar em janeiro, e entrará, a partir do dia 4 de março, em sua primeira fase.

A CBF listou uma série de atitudes que levarão atletas a “conquistarem” o cartão verde durante o jogo. Entre elas, estão parar a jogada quando tocar com a mão na bola, mesmo que o árbitro não perceba, e admitir que falta marcada a favor de sua equipe não ocorreu na realidade.

O presidente da Comissão de Arbitragem, Marcos Marinho, já encaminhou os cartões aos árbitros que apitarão a Copa Verde, além das orientações de como e em que situações aplicá-lo durante os confrontos.

Confira a lista de motivos que levarão ao cartão verde:

1 – ter feito a falta em favor dos adversários;

2 – parar na jogada, pois tocou a mão na bola, sem que o árbitro tenha percebido;

3 – que a penalidade foi marcada de forma correta contra sua equipe;

4 – que a falta marcada a favor de sua equipe não ocorreu;

5 – ter sido tiro de canto para o adversário e não tiro de meta;

6 – ter sido arremesso de lateral para o adversário e não para sua equipe;

7 – que um cartão aplicado a um companheiro foi incorreto e deveria ter aplicado;

8 – parar um ataque de sua equipe ao perceber que o adversário está caído por uma lesão;

9 – um integrante da comissão técnica agiu de forma proativa ao evitar reclamações;

10 – evitou que um companheiro reclamasse da decisão de um dos árbitros da partida;

11 – árbitro percebeu que o treinador orienta o jogador para jogar na bola e não fazer falta;

12 – outras ações de “fair-play”

Gazeta Esportiva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo