GeralMutuípe

Pais do pequeno William não autorizaram campanha de doações em Mutuípe

ENGANADOUm grupo de pessoas estaria arrecadando doações em dinheiro para a família que perdeu uma criança em um trágico atropelamento envolvendo o ônibus da Camurujipe em Mutuípe, sem a autorização dos pais da vitima.

William Santos Menezes de 3 anos faleceu no dia 25 de janeiro, a criança estava em frente a prefeitura de Mutuípe em companhia de sua mãe de pré-nome Eliene, quando saiu correndo em direção ao ônibus foi atropelada e acabou morrendo antes mesmo de chegar ao Hospital.

A noticia chocou a cidade, em várias ruas se via pais e filhos chorando devido a morte da criança, um acidente lamentável que levantou uma grande discussão sobre a  organização do transito de Mutuípe, os cuidados dos pedestres e atenção maior dos pais.

No entanto esta semana um outro fato chamou atenção da população, um grupo de pessoas saíram as ruas solicitando doações para a família da criança, só que as doações nunca chegaram as mãos dos pais do pequeno William e a família nunca foi informada de tal campanha, sendo assim segundo a família| um campanha suspeito e também os pais da criança nunca foram informados de tal campanha. A tia de William a srª Eliete procurou a nossa equipe e pediu para a população não faça as doações porque pode se tratar de um grupo de estelionatários que estaria se aproveitando da tragédia para ganhar dinheiro.

” Nós não estamos realizando nenhuma campanha, estamos preocupados em ajudar a minha irmã que passa um momento muito difícil,  levamos ela para outra cidade para que ela tenha um pouco de paz e somos surpreendidos com um coisa dessas… peço ao povo de Mutuípe que não faça doações, eles não tem autorização para usar o nome do meu sobrinho e podem ser pessoas querendo se aproveitar da solidariedade do povo mutuipense e da tragédia para ganhar dinheiro” Disse a Srª Eiete.

De acordo com Código penal brasileiro, estelionato é  crime  (Título II, Capítulo VI, Artigo 171), sendo definido como “obter para si ou para outro, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento”.  A policia cível de Mutuípe já foi informada do fato e irá investigar a denuncia.

Fonte: Lukasalves.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo