Cotidiano

Padrasto de Eva Luana é condenado a 35 anos de prisão

O padrasto da jovem Eva Luana, que comoveu o país após relatar diversos abusos sofridos durante oito anos, foi condenado pela Justiça a 35 anos e 21 dias de reclusão em regime fechado e a um ano e três meses de detenção em regime aberto. 

Thiago Oliveira Alves foi denunciado pelo Ministério Público do Estado da Bahia à Justiça e teve a prisão preventiva decretada em fevereiro deste ano. Ele foi condenado pelos crimes de lesão corporal no âmbito da violência doméstica, tortura e estupro de vulnerável. A decisão foi publicada hoje, dia 14, pelo juiz Ricardo José Vieira de Santana. O processo continua em segredo de Justiça.

Eva Luana chegou a ser dada como desaparecida, mas conseguiu apresentar a denúncia e divulgou o relato nas redes sociais. Em um total de cinco postagens, a jovem relata ter sido submetida a cenas de humilhação e violência, quando chegou a ter que dormir na casa do cachorro, comer o próprio vômito e ser espancada.

“Existiam castigos e punições pra tudo. Até mesmo se eu não pagasse uma conta no banco que estava super lotado, mesmo tendo horários no trabalho ou estágio. Meu celular era vistoriado todos os dias a noite”, escreveu a jovem em um dos posts.

Metro1

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar