Cotidiano

Operação da Polícia Federal na Bahia combateu fraudes de R$ 2 milhões

AVIAO - POLICIA FEDERALO Operação Pacioli, que foi responsável pela prisão do vereador de Porto Seguro, Geraldo Contador (PSB), nesta sexta-feira (27), cumpriu 27 mandados de busca e apreensão e 16 mandados de prisão preventiva, bem como veículos e documentos. Deflagrada pela Polícia Federal e os ministérios da Previdência Social e Público Federal, ela buscou apurar fraudes previdenciárias pela inserção de vínculos laborais fictícios, tendo sido utilizadas cerca de 106 empresas para a composição do tempo de contribuição para aproximadamente 1.050 trabalhadores irregularmente inseridos. A PF agiu em Porto Seguro, Itamaraju, Teixeira de Freitas, Porto Seguro, Itabela e Prado, visando escritórios de contabilidade e empresários. A Pacioli é resultado de uma investigação que identificou 17 prestadores de serviços contábeis que estavam transmitindo informações falsas ao Cadastro Nacional de Informações Sociais – CNIS e posteriormente formulando requerimentos de benefícios previdenciários fraudulentos. O prejuízo inicialmente identificado até o ano de 2012, em 210 benefícios avaliados, aproxima-se R$ 2 milhões.  Os investigados possivelmente também teriam utilizado os vínculos fictícios para obtenção de prestações de Seguro-Desemprego indevidas, cujos valores ainda serão levantados. Os responsáveis poderão responder pelos crimes de falsidade ideológica, falsidade material e estelionato qualificado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo