BrasilGeral

Nova Zelândia planeja tributar gases de vacas e ovelhas

O governo da Nova Zelândia divulgou planos para tributar gases de arrotos emitidos por vacas e ovelhas em fazendas do país. Segundo as autoridades, a medida tem caráter ambiental e tenta inibir o crescimento da emissão de gases de efeito estufa.

Caso a lei seja aprovada, a Nova Zelândia se tornaria o primeiro país do mundo a cobrar de produtores rurais por emissões de gás metano por animais. O país, de população de 5 milhões de pessoas, conta atualmente com cerca de 10 milhões de bovinos e 26 milhões de ovelhas.

De acordo com estimativas de pesquisadores, metade das emissões de gases da Nova Zelândia vem do agronegócio, principalmente o metano.

“Não há dúvida de que precisamos reduzir a quantidade de metano que estamos colocando na atmosfera, e um sistema eficaz de precificação de emissões para a agricultura vai desempenhar um papel fundamental em como conseguiremos isso”, disse James Shaw, ministro de Mudanças Climáticas da Nova Zelândia.

De acordo com a proposta, os agricultores terão de pagar por suas emissões de gases a partir de 2025. O plano também inclui incentivos para agricultores que reduzam as emissões por meio de aditivos alimentares e plantio de árvores nas fazendas.

O dinheiro arrecadado com o esquema vai ser investido em pesquisa e desenvolvimento de serviços para agricultores, informou o Ministério do Meio Ambiente do país.

Metano

O metano é o segundo gás de efeito estufa mais comum, depois do dióxido de carbono (CO2). É um dos mais potentes e responsável por um terço do aquecimento atual das atividades humanas.

Segundo pesquisadores, moléculas individuais de metano têm um efeito de aquecimento mais poderoso na atmosfera do que moléculas individuais de CO2.

Na conferência ambiental COP26, no ano passado, realizada na Escócia, os EUA e a União Europeia concordaram em reduzir as emissões do gás em 30% até 2030. Mais de cem países, incluindo a Nova Zelândia, também aderiram à iniciativa.

Revista Oeste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo