Política

Neto diz que PT ‘mente’ na TV e ‘fatiará’ a prefeitura em 14 pedaços

O candidato a prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) disse, nesta quarta-feira (5), em entrevista ao programa Que Venha o Povo, da TV Aratu, que, caso seja eleito, pretende ampliar a política de cotas na cidade. O democrata criticou o PT, do candidato Nelson Pelegrino, pelas “mentiras e injustiças” no horário eleitoral gratuito, inclusive as insinuações de que seria contra as cotas para negros nas universidades. “Essa é a maior de todas as injustiças. Não há um voto meu contra a política de cotas. Sempre me pronunciei ao longo de minha vida a favor. De modo que isso não prospera porque o povo sabe do meu compromisso, inclusive assinado com minha vice, professora Célia Sacramento (PV), de ampliar as cotas e implantar no município o Estatuto da Igualdade Racial”, declarou. Ele também defendeu que o seu partido não é contra as cotas, como acusariam os petistas. Neto sustenta que o ex-senador Demóstenes Torres era o único oposto à medida e saiu da legenda antes de ser cassado por corrupção. “A primeira universidade no Brasil que implantou o sistema de cotas foi a Uneb, no governo do então PFL e hoje Democratas. Há três semanas, o Democratas votou a favor de uma alteração na Constituição que tornou a política de cotas uma regra nacional”, afirmou. Neto acredita que o PT usa um terço do tempo do horário político na TV apenas para criticá-lo. “Todo esse tempo (na TV) tem um preço, que é lotear a prefeitura entre 14 partidos políticos. Amanhã, se meu adversário fosse eleito prefeito, ele iria fatiar a prefeitura entre 14 partidos que hoje estão com ele para garantir todo esse tempo na TV”, avaliou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo