Cidades

Neto diz que Dilma tem que ‘cortar na própria carne’ para superar crise

ACM NETO - IGREJA - SANTOA presidente Dilma Rousseff precisa “cortar na própria carne” e aceitar a responsabilidade que tem na atual crise política e econômica. Ao menos é o que acredita o prefeito de Salvador, ACM Neto. Durante coletiva, realizada no lançamento oficial da candidatura da capital ao título de Cidade da Música, da Unesco, o gestor afirmou que o Partido dos Trabalhadores não pode “tirar o braço” neste “momento muito ruim”. “Eu não sei até que ponto as lideranças políticas do PT têm condições de construir e conduzir um processo como esse tendo em vista a responsabilidade frontal que eles têm em tudo o que está acontecendo hoje”, avaliou.

Neto defende que a crise econômica deriva da política e da falta de confiança  na condução das instituições do Brasil. “Ninguém investe num país onde não se tem segurança, onde não se tem um horizonte claro, onde não se tem previsibilidade do que vai acontecer. Onde se tem um poder executivo que está, de alguma forma, em rota de colisão com o poder legislativo, em função de você ter um dos maiores escândalos de corrupção envolvendo membros do legislativo e do executivo… Tudo isso é um caldo complicadíssimo e a crise econômica só faz se agravar”, opina.

Questionado sobre o que o governo precisa fazer para superar a crise, o prefeito foi taxativo: “Se eu fosse ela, eu cortava 10 ministérios em uma canetada só. Se eu fosse ela, eu cortava cinco mil cargos de confiança em uma canetada só. Ela tem que economizar onde há desperdício. A máquina pública do governo brasileiro é grande demais. E o que é que o PT fez pra diminuir? Nada!”. “Isso seria um sinal interno e externo muito importante. Agora tem que estar disposto a cortar na própria carne”, completou.

BN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo