Geral

‘Não se assustem se alguém pedir o AI-5’, diz Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou nesta segunda-feira (25) o que chamou de “convocações” feitas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que o povo saia às ruas para protestar contra o governo federal, acrescentando que as pessoas não devem ficar assustadas se “alguém pedir o AI-5”. A declaração foi feita em entrevista coletiva com a presença de jornalistas brasileiros e da imprensa estrangeira, em Washington, nos Estados Unidos.

Em determinado momento da conversa com a imprensa, Guedes comentou sobre a convulsão social e institucional pela qual alguns países da América do Sul – como Chile, Bolívia e Colômbia – passam e disse que não há nenhum motivo para que protestos semelhante cheguem ao Brasil.

“Sejam responsáveis, pratiquem a democracia. Ou democracia é só quando o seu lado ganha? Quando o outro lado ganha, com dez meses você já chama todo mundo para quebrar a rua? Que responsabilidade é essa? Não se assustem então se alguém pedir o AI-5. Já não aconteceu uma vez? Ou foi diferente? Levando o povo para a rua para quebrar tudo. Isso é estúpido, é burro, não está à altura da nossa tradição democrática.”

Em um de seus primeiros discursos após deixar a prisão, Lula disse pediu para que os brasileiros seguissem o exemplo “do povo do Chile, do povo da Bolívia” e resistisse. “Nós vamos fazer muita luta. E não é um dia de luta, passar três meses e depois voltar não. É todo dia” disse o ex-presidente, à época.

A reação de políticos governistas à declaração foi imediata. O senador Major Olímpio (PSL-SP) chegou a pedir a prisão preventiva do petista, baseando-se na Lei de Segurança Nacional.

“Ninguém tem essa liberdade de expressão pra cometer crimes de incitação contra ordem pública”, afirmou. Bolsonaro foi na mesma linha, em entrevista ao Antagonista: “Temos uma Lei de Segurança Nacional que está aí para ser usada. Alguns acham que os pronunciamentos, as falas desse elemento, que por ora está solto, infringem a lei”.

No último fim de semana, durante o Congresso Nacional do PT, a presidente nacional da sigla endossou as declarações de Lula e afirmou que “quando as grandes manifestações ecoarem no Brasil, porque vão ecoar, vão chegar da América Latina, nós temos que estar preparados para ajudar a conduzi-las”.

Para Guedes, “chamar o povo para rua é de uma irresponsabilidade. Chamar o povo para rua para dizer que tem o poder, para tomar. Tomar como? Aí o filho do presidente fala em AI5, aí todo mundo assusta, fala o que que é? (…) Aí bate mais no outro. É isso o jogo? É isso o que a gente quer? Eu acho uma insanidade chamar o povo para rua para fazer bagunça. Acho uma insanidade.”

“Assim que ele [Lula] chamou para a confusão, veio logo o outro lado e disse é, ‘sai para a rua’, vamos botar um excludente de ilicitude, vamos botar o AI-5, vamos fazer isso, vamos fazer aquilo. Que coisa boa, né? Que clima bom”, completou.

“Sejam responsáveis, pratiquem a democracia. Ou democracia é só quando o seu lado ganha? Quando o outro lado ganha, com dez meses você já chama todo mundo para quebrar a rua? Que responsabilidade é essa? Não se assustem então se alguém pedir o AI-5. Já não aconteceu uma vez? Ou foi diferente? Levando o povo para rua para quebrar tudo. Isso é estúpido, é burro, não está à altura da nossa tradição democrática.”

Bahia.ba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar