CidadesGeral

Mutuípenses participam do Movimento Passe Livre que reuniu cerca de 10 mil em Salvador

g_1333385Com gritos de ordem, faixas e cartazes de protesto, integrantes do Movimento Passe Livre fizeram no fim tarde desta segunda-feira, 17, por volta das 16h30, uma manifestação na região do Iguatemi, em Salvador. Cerca de 10 mil pessoas participaram da passeata.

A mobilização foi em solidariedade às manifestações contra aumento de tarifa no transporte público realizadas em outras cidades do Brasil. Eles pediram melhorias do transporte público, da mobilidade urbana e da acessibilidade na capital baiana.

O grupo se concentrou no Iguatemi, seguiu em caminhada pela Avenida Tancredo Neves e retornou para a Estação de Transbordo, por volta das 19h.  Eles pediram passe livre para todos os usuários do transporte público, que seria 100% subsidiado pelo poder público, seja em nível municipal, estadual ou federal.

Protesto pacífico

O movimento deixou o trânsito lento na região. Agentes da Polícia Militar (PM-BA) acompanharam a mobilização, que foi pacífica, conforme os manifestantes. Segundo integrantes do grupo, chegou a ser cogitada a possibilidade de levar o protesto até a Avenida Paralela, no entanto, eles desistiram da ideia, pois já tinham combinado de protestar na Avenida Tancredo Neves.

“O protesto é contra todos esses aumentos de passagens e também contra a Fifa, que não pode mandar no país do jeito que está mandando”, disse o estudante universitário Marcos Nusse, um dos responsáveis pela organização do protesto desta segunda.

O também estudante Ruan Phelippe, integrante do Coletivo Quilombo, destacou a amplitude do movimento. “A manifestação começou em apoio aos movimentos de outras capitais e acabou se tornando uma passeata contra tudo, contra a situação geral do país, contra a corrupção”.

O major responsável pelo policiamento que acompanhou o protesto, tenente coronel Nascimento, disse que não houve embates e que tudo foi controlado. “A palavra-chave da situação é o entendimento. Está tudo sob controle. Desde o começo, tudo que foi combinado está sendo cumprido”, destacou.

O vice presidente da Comissão de Minorias da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Eduardo Rodrigues, também acompanhou o movimento. Ele disse que veio a pedido do presidente da OAB, Luiz Viana. Segundo Rodrigues, Viana enviou uma carta ao governador Jaques Wagner pedindo que a polícia evitasse violência durante o protesto e respeitasse o direito de livre manifestação.

Trânsito

O ato bloqueou as vias na região do Iguatemi. O grupo fechou a Avenida Antônio Carlos Magalhães e causou lentidão na Avenida Tancredo Neves. Segundo a Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador), outro grupo de manifestantes seguiu do Centro de Abastecimento do Rio Vermelho até o Iguatemi.

O trânsito também seguiu intenso na Avenida Paralela, mas por conta do fluxo causado durante o horário de pico. Até as 19h, o órgão não havia registrado acidentes na capital baiana.

Além do protesto desta segunda, os integrantes do Movimento Passe Livre pretendem realizar na próxima quinta, 20, outra mobilização, às 14h, do Campo Grande até a Arena Fonte Nova. Neste mesmo dia, o estádio será palco da partida entre Uruguai e Nigéria, às 19h30, pela Copa das Confederações. A Tarde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo