MutuípeSlide

Mutuípe deve receber agência da Caixa Econômica Federal até o fim de 2021

Em 2013, município foi contemplado em plano de expansão, mas crise financeira fez banco desistir.

O município de Mutuípe, foi listado mais uma vez, pela Caixa Econômica Federal (CEF), para recebimento de uma agência do banco, em 2021, em um arquivo PDF, o qual este site teve acesso, nesta sexta-feira (23), a CEF elegeu sete cidades na Bahia para contemplar com novas unidades.

A CEF marcou presença em todos os municípios baianos com mais de 40 mil habitantes, sendo o último Sento Sé. Em seu pano de Consolidação no Mercado do Agronegócio aparecem: Vitória da Conquista, Barreiras e Itamaraju. As cidades de Feira de Santana e Porto Seguro, recebem duas unidades para reforço no atendimento. A sétima escolha, foi a cidade de Mutuípe, listada como (Potencial identificado para incremento negocial), com população estimada em 22.282 – PIB (Produto Interno Bruto), per capita de R$ 9.973.

Na quinta-feira (15), o prefeito Rodrigo Maicon de Santana Andrade (Digão), do MDB, esteve reunido com a diretoria executiva do banco, de forma virtual, logo após o gestor compartilhou um card nas redes sociais, contando à população sobre o encontro. Cinco dias depois, a CEF informou que pretende abrir 268 novas agências em 2021, e Mutuípe constava.

Nos municípios entre 20 e 40 mil habitantes, a abertura de unidade é condicionada à reciprocidade negocial com a prefeitura e viabilidade financeira: cessão não onerosa de espaço físico entre 150m e 200m², transferência de folha de pagamento para a CAIXA: centralização de convênios de arrecadação e cobrança dos tributos, Fundo a Fundo da Saúde, Quota Educação, FUNDEB, centralização Financeira, conta única, movimentações financeiras de pagamentos a credores, centralização dos depósitos judiciais e aplicação financeira.

Em setembro de 2013 a (CEF), anunciou a criação de 47 novas agencias bancária na Bahia, tendo como prazo 2014 para a instalação das unidades. Na época Mutuípe e Laje festejaram o anuncio, pois seriam contempladas, porém quase oito anos após as unidades bancarias não saíram do papel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo