Geral

Secretária de saúde diz que Mutirão de glaucoma realizado pela Câmara de Mutuípe pode ter sido irregular

jacklene mirneA secretária de saúde de Mutuípe, cedeu entrevista ao Mutuípe Agora afirmando que não existia uma parceria entre a secretaria de saúde e o mutirão de glaucoma realizado pela Câmara de Vereadores, Segundo Jacklene Mirne ela foi chamada como parceira do evento na última semana e criticou a forma como foi chamada para fazer parte, “eu não fui chamada para construir esse processo, em nenhum momento o presidente do SINDVALE e presidente da câmara  chamaram a secretaria de saúde para construir o projeto, o que aconteceu foi eles chagarem aqui com o projeto já pronto solicitando ajuda no processo de divulgação, eles chegaram aqui e aproveitam o momento solicitaram alguns equipamentos, como tenciomento, fita de glicemia, para que eles pudessem favorecer as pessoas que participaram do mutirão de glaucoma, eu não entendo isso como parceria, isso pra mim é como doação, eu não estou aqui para prejudicar a população
 
A secretária justificou o tempo de resposta do ofício e informou que saúde é coisa séria e que não se pode fazer cabide [de voto]  
A secretaria de saúde de Mutuípe, após ser acusada de não colaborar com a entrega dos colírios aos portadores de glaucoma, atendidos no mutirão realizado na Câmara de Vereadores no final do ano passado, resolveu apurar os fatos e tomou conhecimento, através de representante da SESAB, que a clínica que participou do atendimento, não tinha autorização para realizar os procedimentos em Mutuípe. A secretaria teria apurado ainda que não existem colírios a serem entregues aos pacientes atendidos no mutirão por não serem acompanhados como determinam os protocolos do SUS.
 
Em contato com a responsável pela DICON – Diretoria de Convênios da SESAB, que celebra os convênios entre os municípios e o órgão estadual, a secretária de saúde de Mutuípe Jacklene Mirne tomou conhecimento de que a unidade pro-oftalmo estava atendendo nos municípios sem autorização de SSA. “Essa empresa não está habilitada para atender nos municípios sem passar pela CIB”. Ana Paula disse ainda que, com a resolução da CIB – Comissão Intergestora Bipartite – Entidade formada por secretários municipais e secretário estadual, que define as deliberações referentes à política de saúde a nível estadual e municipal, através das deliberações acerca das ações de saúde em todo o estado da Bahia, que regulamenta inclusive esse serviço de mutirão de glaucoma, todas as unidades só poderiam atuar fora de Salvador após pactuação com o município e CIR, levando a entender que o procedimento realizado pela Câmara de Vereadores e Sindvale, teria sido de forma irregular, o que não garante o fornecimento de colírio gratuito para os atendidos. A diretora da DICON orientou a secretária de saúde de Mutuípe a encaminhar estes pacientes para Muritiba, para serem assistidos pela SESAB, como já ocorre mensalmente com os pacientes encaminhados pelo município de Mutuípe.
 
Mirne citou a fala de alguns moradores que segundo ela tiveram o diagnostico feito em 30 minutos o que segundo ela não é suficiente para um resultado preciso. Ela informou que não existe colírio a ser entregue, e disse não ter sido ela quem fez a denuncia “deveria ter feito, mas não fiz” “se esses colírios foram entregues em Salvador eu vou saber como foi”
 
No fim da entrevista a secretária informa que se os organizadores provarem que fizeram tudo legalmente que disponibiliza a secretaria de saúde bem como os funcionários necessários para realizar a distribuição dos medicamentos. Mídia Bahia com informações do Mutuípe Agora.
Veja também
Mutuípe: o estranho comportamento da secretaria de saúde no caso do mutirão de glaucoma
Mutirão do glaucoma não poderá mais ser realizado em Mutuípe após denuncia a SESAB
Câmara de vereadores de Mutuípe promove mutirão de combate ao Glaucoma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo