Notícias

Mulher queima cachorro vivo

agressora-de-cae-1432928969308_615x300Um vídeo que mostra uma mulher queimando um cachorro vivo com maçarico ganhou repercussão nas redes sociais e revoltou internautas. Na gravação, o animal aparece amarrado, e a agressora sorri enquanto pratica o ato de crueldade.
Não se sabe em que lugar o fato ocorreu, mas a filmagem mobilizou defensores dos direitos dos animais, que estão tentando localizar a origem do vídeo.
Veja mais
Mulher que matou cachorro com maçarico foi queimada viva?
Felipe Melo entra na mira da Internazionale
Grazi Massafera está azeda e tem preguiça de falar até de novela
Com imagens muito fortes, o vídeo mostra a agonia do cão, que chora e se contorce diante das sucessivas vezes em que a mulher encosta o maçarico no animal, percorrendo a chama por todo o corpo dele. Em dado momento, a câmera filma os pés da agressora, que usa sapatos de salto alto cor-de-rosa. No fim, o animal já não chora mais, porém a tortura continua, e a mulher aparece olhando para a câmera com um enorme sorriso. Diante da brutalidade do vídeo, o BOL optou por não exibir as imagens.
Outros casos como este já foram registrados e causaram comoção. Em 2013, uma mulher usou o Facebook para contar que havia incendiado um cão. A agressora, que é dos Estados Unidos, foi presa após a declaração. Em Taiwan, dois homens também foram detidos depois que uma foto que mostrava a dupla queimando um cachorro, também com maçarico, viralizou na internet.
Após a repercussão do caso da agressora, internautas divulgaram um segundo vídeo que mostra uma mulher sendo agredida e queimada na rua por uma multidão supostamente em represália à tortura ao animal. Porém as imagens, também chocantes, não têm ligação com o primeiro caso. O episódio aconteceu na Guatemala e teria a ver com o suposto envolvimento da mulher no assassinato de um taxista.
(Uol Com informações dos sites Stomp, Examiner e Right Wing)
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo