Saúde

Mitos e verdades: tratamento de canal

Você ainda acha que o tratamento de canal é incômodo ou doloroso?

Por muito tempo, o tratamento de canal, ou tratamento endodôntico, esteve associado à dor. Hoje, o avanço da tecnologia, na odontologia, permite que o procedimento seja tranquilo, rápido e eficiente. Os dentistas e sócios da clínica odontológica Spazio Oral, José Medeiros Filho, Júlia Torres, Dylton Neto e Renata Barbosa explicam que muitos mitos assustam quem precisa do tratamento. “Tem pessoas que, mesmo sofrendo com a dor de dente, evitam ir ao dentista. Mas ignorar a dor, não vai resolver o problema magicamente; pelo contrário, pode agravar a situação”, destaca Júlia Torres. 

Os profissionais ressaltam que o tratamento de canal é o meio mais eficaz para a reabilitação e preservação dos dentes. A fim de ajudar a desmitificar o assunto, os dentistas apresentaram alguns mitos e verdades sobre o tratamento de canal:

1-   O tratamento de canal mata o dente?

Mito. O tratamento de canal é realizado quando a polpa do dente, que é a parte viva formada por nervos e vasos sanguíneos, localizada no interior da coroa e das raízes, está inflamada de maneira irreversível, infectada ou morta. “O tratamento remove a polpa que já está morta ou danificada para, em seguida, preencher o sistema de canais radiculares (obturação). O tratamento de canal vai permitir que o dente retorne às suas funções”, explica Renata Barbosa. 

2-   Fazer canal dói?

Mito. “Na maioria das vezes, não dói. O avanço tecnológico contribuiu para que o tratamento de canal evoluísse muito”, destaca Dylton Neto. “As técnicas anestésicas permitem que o tratamento endodôntico seja indolor, em quase todas as situações”. Na Spazio Oral, os pacientes ainda podem contar com um diferencial que é a sedação por óxido nitroso, também chamada de “sedação consciente”. “É uma técnica que utiliza o gás óxido nitroso (N2O) em conjunto com oxigênio com o objetivo de diminuir a dor, o medo e a ansiedade do paciente, mantendo a pessoa acordada e relaxada durante tratamentos”, explica o dentista. 

3-   São necessárias várias sessões?

Mito. Com os recursos e técnicas modernas disponíveis no mercado, como microscópio, localizadores foraminais, ultrassom, instrumentos rotatórios, o tratamento pode ser realizado em uma ou duas sessões. “Destacando que, a depender da complexidade do tratamento, mais sessões podem ser necessárias”, avalia José Medeiros Filho. 

4-   O tratamento só é necessário se o dente doer?

Mito. É possível que a inflamação não provoque dor e, mesmo assim, o tratamento endodôntico seja necessário. “Por isso, é fundamental visitar regularmente o dentista para que ele possa ajudar a descobrir e resolver os problemas que ainda não se manifestaram”, conta Júlia Torres. 

5-   O dente fica frágil após o tratamento?

Mito. Normalmente, o dente que passará pelo procedimento já perdeu parte de sua estrutura original e encontra-se mais frágil, estando mais susceptível à fratura, explica Renata Barbosa. “Por isso, é muito importante que o tratamento endodôntico seja bem realizado, evitando desgastes desnecessários no dente. Para devolver resistência a esses dentes,  podemos utilizar a cimentação de pinos em fibra de vidro, previamente ao processo restaurador”. 

6-   O dente fica escuro após o tratamento?

Mito. Com as técnicas atuais e a rapidez no diagnóstico, o escurecimento dos dentes pode ser evitado completamente. Dylton Neto comenta que, “em casos de dentes que já estão escurecidos por trauma ou tratamento de canal inadequado, existe a opção de fazer o clareamento dental interno e também faceta para devolver a coloração correta”. 

7-   Depois de tratar o dente ele pode voltar a ter problemas?

Verdade. Se o dente foi tratado de forma insatisfatória, fraturou ou passou por algum trauma, é possível que volte a ter problemas, comenta José Medeiros Filho. “Neste caso, para reverter o problema, será necessária uma reintervenção endodôntica ou até mesmo uma mini cirurgia para realizar o canal”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo