CotidianoGeral

Mistério de Caixões que se mexem sozinhos por 200 anos em cemitério ainda não foi desvendado

fdsaflsakdjUm mistério ronda uma pequena ilha dos Barbados (na América Central) há quase 200 anos: os caixões de uma família enterrada em um cemitério local se mexem regularmente após terem sido encontrados revirados pela primeira vez, em 1812. Todo o restante do cemitério continua quase intocado, mas o local onde está a família Chase vira e mexe resolve assombrar.
Fantasmas? Ninguém sabe, mas vários trabalhadores locais se recusam a chegar perto dos tais caixões…caixaoes que se movem
A história foi publicada pela primeira vez pelo jornalista James Edward Alexander, na revista Transatlantic Sketches. A construção do jazigo se deu em 1805, quando era comum a construção de covas por conta de doenças que assolavam o mundo inteiro
A Sra Goddard foi a primeira enterrada no local, em 1807. Um ano depois foi a vez de Ann Mary Chase e Dorcas Chase, em 1812. Em dezembro de 1812, quando chegou a vez de enterrar Thomas Chase, os funcionários do cemitério local se depararam com algo macabro: os caixões estavam completamente revirados, como mostra o desenho ao lado.
Os guardas apostaram em algum tremor de terra ou ladrões de túmulo e ajeitaram os caixões novamente, além de reforçarem as trancas do jazigo.
Para deixar tudo ainda mais misterioso, os caixões eram de chumbo, “extremamente pesados”, segundo as descrições dos guardas a revista.
Em 1816 foi a vez de enterrar Jason Chase e uma nova surpresa: as trancas estavam intactas, mas os caixões estavam completamente revirados.
O mesmo aconteceu em 1817, em que o processo se repetiu
Os guardas locais e funcionários do cemitério reiteraram todas as versões bizarras em relatórios: os caixões realmente eram pesados e realmente se mexeram pra caramba.
Três dos funcionários afirmaram que dois dos caixões — das crianças pequenas — estavam semi-abertos e com as tampas quase no chão.
Diversos investigadores internacionais pousaram na ilha para tentarem desvendar o mistério todo.
Eles disseram que a história era “duvidosa”, embora tenham reconhecido que os “depoimentos parecem legítimos”
O mesmo pode ser dito dos registros de funcionários, considerados autênticos pela maioria dos historiadores.
O investigador cético Joe Nickell foi um dos que mais se aprofundaram na história e ficou por cinco anos na ilha em busca de depoimentos e documentos.
Apesar de ter colocado em dúvida o lance todo, considerou a questão por demais “inconclusiva”
Essa é outra imagem que mostra como os caixões foram encontrados, completamente movidos e um sobre o outro também.
No início dos anos 90 a revista de coisas bizarras Weird NJ visitou o local e relembrou a história mundialmente.
Foi o reinício da lenda após quase dois séculos…
Após a publicação o local voltou a ser visitado e estudado e bem, coisas mais esquisitas aconteceram… R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo