GeralMundoNotícias

Mineira morre ao desembarcar na Itália

"Minha irmã era saudável. Em novembro do ano passado, nossa mãe morreu por causa de um câncer. Naquele período, fizemos todos os exames. Ela não tinha nenhum tipo de problema" Mariana Araújo de Miranda, diz irmã da vítima.

Uma mineira, morreu no sábado (8), ao desembarcar de um voo em Milão na Itália, a jovem foi identificada por Luana Araújo de Miranda, de 30 anos.

A causa da morte de Luana é desconhecida, fato que tem causado inquietação nos familiares. Segundo o site EM, ela sonhava em conhecer a Suíça e essa era sua primeira viagem ao exterior. “Minha irmã era saudável. Em novembro do ano passado, nossa mãe morreu por causa de um câncer. Naquele período, fizemos todos os exames. Ela não tinha nenhum tipo de problema” Mariana Araújo de Miranda, diz irmã da vítima.

De acordo com informações da irmã de Luana, a viagem foi planejada por seis meses e ela se encontraria com um amigo que mora em Turim, “Ele a convidou. Disse que ela não precisaria de pagar hospedagem na Itália. O plano era fazer uma tour na Europa”, revelou ela ao mesmo site. Ao saber que a jovem tinha se sentido mal, o amigo foi ao hospital e foi surpreendido com a informação do óbito.

Mariana também narrou o que obteve junto a companhia. “Uma aeromoça percebeu que ela estava tonta. Minha irmã teria dito que estava passando mal e a funcionária sentou minha irmã na poltrona e logo chamou uma ambulância. A companhia informou que o atendimento a demorou cerca de seis minutos e, logo, ela foi levada para o hospital mais próximo do aeroporto”, contou.

A jovem busca ajuda de outros passageiros que estavam na aeronave para entender o que aconteceu.

A autopsia deve ocorrer nesta quinta-feira (13).

Nota da Latam


A LATAM Airlines Brasil informou que “se sensibiliza com o ocorrido e esclarece que está prestando a assistência necessária aos familiares da passageira.”

Nota do Itamarati

“Esclarecemos que, quando um cidadão brasileiro morre no exterior e sua família opta por trazer seus restos mortais ao Brasil, as embaixadas e os consulados brasileiros procuram apoiar os familiares com orientações gerais, a  expedição de documentos (atestado de óbito, por exemplo) e também no contato com autoridades locais (especialmente para tentar agilizar e facilitar os trâmites).”

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar