Cotidiano

Menino de 11 anos que se juntou ao EI é uma ‘alma perdida’, diz avô

JOJO JONESO britânico Jojo Jones, de 11 anos, foi identificado pela família em um vídeo divulgado pelo Estado Islâmico. Seu avô afirmou à imprensa do país que a criança é “uma alma perdida cuja vida está acabada”.

Em entrevista ao ‘The Sun’, Terry Lynch, de 56 anos, revelou que sua enteada Sally Jones, a mãe do menino, era usuária de drogas quando se envolveu com um terrorista e acabou se mudando para a Síria, onde se radicalizou com o filho.

Segundo informa o Extra, o homem afirmou que ficou furioso com a atitude de Sally, de ter levado o filho para a Síria aos 8 anos de idade.

“Quanto mais cedo ela morrer, melhor”, desabafou.

“Ele era um menino lindo, lindo. Ele agora é uma alma perdida, e você nunca vai recuperá-lo”, lamentou o avô sobre Jojo.

Na última semana, o pai do menino, que não quis se identificar, já tinha falado sobre a situação. Ele contou ao “Daily Mail” que a criança nasceu em Kent, na Inglaterra, e os dois se separaram em 2004.

A mulher se converteu ao Islã pouco depois e se casou com militante do Estado Islâmico (EI). Em 2013, o casal fugiu para Síria e acredita-se que o marido dela tenha morrido no ano passado em um ataque de drones.

“Tem sido difícil, só temos de seguir em frente. É nojento. Ele passou por uma lavagem cerebral”, disse o pai.

Jojo foi reconhecido pela família num vídeo divulgado pelo EI onde cinco meninos estrangeiros aparecem assassinando curdos mantidos reféns pelo grupo extremista.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo