Cidades

Médica inocentada de matar pacientes pode receber R$ 4 milhões

A médica Virgínia Soares de Souza inocentada, em primeira instância, da acusação de ter provocado a morte de 7 pacientes internados pode receber até R$ 4 milhões de indenização do Hospital Evangélico de Curitiba, onde trabalhava.

O Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) manteve a condenação que obriga a unidade a indenizar a ex-chefe da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), por demiti-la sem pagar direitos, após ela ser apontada pela polícia como suspeita de antecipar a morte de doentes em tratamento.

 Advogado da médica, Guilherme Assad de Lara comemorou a decisão nesta segunda-feira (19) e explicou que não há mais possibilidade de recurso por parte do hospital, já que a “decisão transitou em julgado”.
Segundo Lara, Virgínia Soares de Souza trabalhou no Evangélico por 20 anos “sem registro de carteira de trabalho e sem receber os direitos mínimos garantidos pela CLT, como férias, 13º salário e FGTS. Agora, o hospital foi definitivamente condenado”, contou ao G1.
A unidade não se manifestou sobre o caso, alegando que aconteceu em gestão anterior.
Noticiasaominuto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo