Bahia

Maragogipe: Empresa utiliza mula em coleta de lixo e ambientalista aciona o MP

Uma empresa responsável pela coleta pública de lixo na cidade de Maragogipe, no Recôncavo baiano, foi acionada no Ministério Público estadual após utilizar uma mula como meio de transporte dos resíduos em áreas que veículos motorizados não tinham acesso. Segundo o site G1, moradores relataram que o animal sobe e desce uma escadaria de 168 degraus com cestas, nas quais são depositadas sacolas com lixo de pelo menos duas comunidades atendidas pelo serviço. Segundo a prefeitura, o serviço de coleta com o auxílio do animal ocorre no Alto do Japão e no Alto do Cruzeiro nos dias de segunda, terça, quinta, sexta e sábado. Através de nota, a prefeitura ainda justificou que a mula realiza a coleta de lixo onde não é possível o acesso do caminhão ou de outro veículo, já que a estrutura da cidade possui muitas escadarias. “O que acontece é que se retira o lixo do local/portas das casas e o mesmo é levado até o final da escadaria, onde o caminhão passa e faz o recolhimento”, informou o comunicado. Após a denúncia, a ambientalista Telma Lobão encaminhou um pedido de investigação ao Ministério Público da Bahia (MP-BA) na segunda-feira (17) e na última quinta (20), a promotora Neide Reimão determinou que o animal fosse afastado da atividade. “O animal é utilizado para um trabalho excessivo. Ele não pode ser utilizado para aquele tipo de trabalho. A empresa deveria estar dotada de outros meios e não se valer de um animal para fazer a coleta”, afirmou Neide que ainda acrescentou a possibilidade de os responsáveis pela empresa que faz a coleta responderem criminalmente por crueldade ou trabalho excessivo contra o animal. O secretário de Serviços Públicos do Município, Djalma Costa, disse ao site que os animais utilizados na coleta de lixo recebem “o melhor tratamento possível” e que foram a “última opção” da prefeitura, já que não foram encontradas pessoas interessadas em realizar o serviço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo