Cotidiano

Líderes do DEM e do PTB se movimentam pela fusão dos partidos

ACM NETO - COLETIVA - FORMALSem alarde, líderes do DEM e do PTB se movimentam para dar sobrevida ao processo de fusão entre os partidos, mesmo que caciques dos dois lados tenham dado o acordo como morto e enterrado. Os primeiros sinais da operação de salvamento foram emitidos, anteontem, em Brasília. Prevista para a quinta-feira passada, a reunião em que integrantes da Executiva Nacional do DEM pediriam o sepultamento formal das negociações foi subitamente cancelada. Ouvidos pela Satélite, parlamentares com assento na cúpula das duas legendas adiantaram, em tom reservado, que já há conversas entre democratas e petebistas marcadas para a próxima semana. Entusiasta da união das legendas, o prefeito ACM Neto (DEM) adotou, pelo menos em público, distância regulamentar das novas costuras. Nas declarações mais recentes à imprensa, disse apenas que o assunto saiu da sua agenda política.

Pela culatra: Jornalistas que militam no PT não esconderam o desconforto quando o ex-presidente Lula enumerou, em tom próximo ao da comemoração , as centenas de profissionais demitidos de redações no eixo Rio-São Paulo, durante seu discurso de abertura no congresso do partido. “Lula mirou nos donos de veículos da grande imprensa, mas acabou acertando o trabalhador, a razão de ser do partido e deste congresso. Soou como um retorno à Idade Média, quando se cortava a cabeça do mensageiro que portava uma notícia ruim”, resumiu um petista com larga experiência em jornais e TVs.

Lenha no forno: A passagem de Lula por Salvador também atiçou a sanha de peemedebistas insatisfeitos com o PT e o governo Dilma Rousseff.

Eles aproveitaram as queixas do petista ao vice-presidente Michel Temer (PMDB) – no rastro da convocação do seu braço direito, Paulo Okamoto, pela CPI da Petrobras – para jogar mais gasolina na fogueira entre os dois partidos. “Temer, é bom que fique claro, é articulador político do Planalto, cuida dos assuntos do governo. Não está na posição para ser babá de Okamoto, do Instituto Lula ou de qualquer partido”, afirmou o deputado Lúcio Vieira Lima.

Saída pela direita: Novo ministro da Educação, o filósofo Renato Janine Ribeiro cancelou a palestra que faria na Ufba, terça-feira que vem. O intelectual era esperado pela comunidade acadêmica para debater a grave crise financeira que levou a universidade a paralisar suas atividades desde o fim de maio. Coube ao reitor João Carlos Salles informar sobre o cancelamento pelo Facebook, em um comunicado que não escondeu a pitada de ironia na descrição do motivo alegado pelo gabinete de Janine: “Conflito de agenda com ‘compromissos oficiais incontornáveis’”.

Conta de nanico: O Diretório Estadual do PTC vai concentrar esforços na tentativa de eleger dois vereadores em Salvador. Para atrair candidatos, o vice-presidente do partido na Bahia, Ricardo Grey, usa como exemplo o deputado federal Uldurico Júnior, eleito com apenas 39.904 votos em 2014. ”Nas conversas, mostro que dá para vencer conosco”, afirmou.

Fora da lista: Enquanto a Câmara discute a reforma política, uma cidade baiana é exemplo de distorção no sistema eleitoral que sequer entra na pauta dos parlamentares. Quase três anos após escolherem prefeito e vice, eleitores de Presidente Tancredo Neves terão que voltar às urnas amanhã. Os vencedores só foram cassados definitivamente por compra de votos em abril.(Correio da Bahia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo