Bahia

Jovem morre após cair de ônibus a caminho do trabalho, no Calabetão

RTEmagicC_calabetao-gabriel.jpgGabriel Soares Marques, 20 anos, que trabalhava com ajudante em uma transportadora, morreu após cair de um ônibus em movimento e ser atropelado pelo coletivo na manhã desta sexta-feira (6), em Salvador. O acidente aconteceu no final de linha do bairro do Calabetão, na Praça da Esperança, por volta das 6h30.

De acordo com a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), a vítima tentou embarcar no ônibus da empresa OT Trans, do consórcio Integra, quando as portas do coletivo já estavam fechadas. Gabriel não conseguiu se segurar e caiu, sendo atropelado pelo veículo que fazia a linha 1398 – Estação Pirajá/Calabetão, de número de ordem 27029.

Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Um representante da OT Trans informou ao Correio que o motorista do ônibus entrou em contato com a Polícia Militar e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) após o acidente, e que fugiu do local para não ser linchado pela população, conforme orientações da própria empresa.

Pai tinha conseguido emprego para a vítima
Há 20 dias, Gabriel tinha começado a trabalhar como ajudante na transportadora Starlog. Segundo o pai da vítima, Carlos José dos Santos, o jovem pegava esse mesmo ônibus todos os dias para ir ao trabalho. “Eu não moro com a família, sou separado da mãe dele, e estava em casa quando recebi a notícia que ele tinha caído do ônibus”, disse Carlos José ao CORREIO.

Segundo o pai de Gabriel, o jovem estava empolgado com a contratação e cheio de planos – entre eles a compra de uma motocicleta. “Ele estava doido querendo trabalhar, e ficou super feliz quando consegui esse emprego para ele. E aí aconteceu uma fatalidade dessa”, lamentou.

A mãe da vítima não teve condições de ir ao local do acidente. “Eu falei com ela por telefone, e ela está muito abalada. É uma coisa muito chocante para uma mãe, perder um filho de 20 anos, único filho homem, ainda mais dessa forma. Eles eram muito próximos. Ele era o xodó da família toda”, comentou Carlos José.

Passageiros
A estudante Amanda Portugal, 16 anos, estava dentro do coletivo no momento do acidente e diz que o motorista do ônibus não costuma parar no ponto de ônibus onde Gabriel estava porque o veículo sempre vai muito cheio no horário das 6h.

“Hoje, o motorista estava vindo e o cara [Gabriel] estava no ponto que ele não para e correu”, comentou Amanda. “Ele pulou, tentou se segurar, não conseguiu e bateu a cabeça no chão”.

Segundo a adolescente, Gabriel tentou entrar pela porta do meio do coletivo, que estava fechada.

 “Acho que ele [Gabriel] não queria se atrasar, deu um pulo e caiu. Muitos fazem isso – pulam, se seguram e com a força eles abrem a porta do meio fechada”.

Ao ver o corpo da vítima, Amanda desmaiou e precisou ser carregada pelo pai. “Vi muito sangue saindo de um lado do rosto. O motorista correu porque ia ser linchado”, ressaltou.

Gabriel era filho caçula e tinha duas irmãs. O motorista do ônibus se encontra na 11ª Delegacia (Tancredo Neves), onde vai ser ouvido sobre o caso. O corpo da vítima foi encaminhado ao Departamento de Polícia Técnica (DPT), onde deverá passar por perícia antes de ser liberado para os familiares.

* Com informações do repórter fotográfico Mauro Akin Nassor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo