Jogos

Jogadores do Bahia e Vitória promovem campanha para arrecadar alimentos

O Bahia já começou a série A de forma competitiva e obteve resultados importantes dentro e fora de casa com duas vitórias, apesar de dois empates e uma derrota. Já a campanha do Vitória é parecida, mas ao invés de duas vitórias, tem apenas uma mais três empates e duas derrotas, ocupando a 12ª posição na série B. O desempenho dos rivais baianos do futebol pode ser acompanhado em mais detalhes no apostagolos.com, assim como suas chances nos campeonatos.

Mas não é só dentro do campo que os jogadores estão fazendo a sua parte, eles brilham ainda mais fora dele. Com a pandemia esvaziando as despensas de milhões de brasileiros, os dois times deixaram sua rivalidade apenas nos jogos e se uniram para arrecadar e doar alimentos àqueles que estão financeiramente mais vulneráveis por conta do surto de coronavírus.

A campanha apoiada pelos jogadores é a Mães da Favela, que arrecada doações de alimentos não perecíveis no drive thru João Solidário, um espaço promovido pela Rede Bahia, emissora afiliada à Globo no estado, Prefeitura Municipal de Salvador e a Ong CUFA Bahia. Sua proposta é ajudar mais de 4 mil mulheres nas condições já citadas.

As doações serão aceitas até o próximo dia 27 de junho em diferentes pontos de coleta instalados em oito shoppings, o da Bahia (estacionamento I1), Salvador (G1), Salvador Norte (G1), Barra (G2 Oeste), Bela Vista (GO), Itaigara (no Mall), Center Lapa (na Vila Junina) e do Piedade (no L2, próximo à saída da Estação Nova Lapa). Cada local possui seu próprio horário de funcionamento, portanto é importante se informar antes de doar.

Mães da Favela em São Paulo

A CUFA de São Paulo também não ficou de fora desta iniciativa e também envolveu a comunidade esportiva. Em parceria com o Departamento de Responsabilidade Social do Corinthians, Rede Globo e o Grupo Bandeirantes, a Ong arrecadou alimentos para o mesmo projeto entre os dias 17 e 21 de maio e distribuiu para 660 comunidades paulistas. Empresas e pessoas físicas fizeram suas doações no drive-thru instalado no estacionamento da Neo Química Arena.

“Numa situação emergencial, a primeira medida que se tem que tomar é garantir a dignidade e a segurança alimentar dessas famílias”, disse Adilson Monteiro Alves, diretor do departamento corintiano. O fundador da CUFA São Paulo, Celso Atahyde, também acrescentou: “Juntos, estamos levando não só alimentos, mas um sentimento de orgulho e dignidade para dentro das favelas. Este é o momento de unir forças com toda a sociedade, porque esse alimento que chega a esses lares, em um momento tão crítico, salva vidas e dá esperança às pessoas”.

Outras campanhas abraçadas pelo esporte

Além dos times baianos e paulista, outros clubes e nomes ligados ao esporte também estão colaborando com os mais vulneráveis durante este período de crise sanitária. Outras campanhas e doações estão sendo feitas para arrecadar fundos para, não só comunidades carentes, como também para instituições de saúde.

Um exemplo são o Inter e o Grêmio, que, com a campanha O Gre-Nal mais importante da História, se uniram em prol do hospital Santa Casa de Porto Alegre para arrecadar recursos para montar 80 leitos de UTI para o tratamento da covid-19, estimulando doações entre seus torcedores e a população gaúcha para a captação de R$32,4 milhões.

Ainda, esse dois times cederam seus espaços (Beira-Rio e Gigantinho, do Inter, e Arena, do Grêmio) para atender os infectados caso a demanda por leitos nos hospitais de Porto Alegre se extrapole. Outra que cedeu suas estruturas é o Clube Sogipa, que disponibilizou ginásios e salões para a utilização dos órgãos públicos, assim como Juventude e Brasil, em Caxias e Pelotas, respectivamente.

Além dos times e entidades, houve ações isoladas por parte de jogadores, sendo um dos casos o do goleiro Paulo Victor, do Grêmio, que doou 250 cestas básicas para a sua cidade natal, Assis, no interior de São Paulo.

“Momento que jamais pensamos que iríamos passar. Faz a gente valorizar os pequenos detalhes da vida, aproveitar mais a família. Sobre Assis, tenho uma ligação muito forte com a cidade. Tenho um projeto lá chamado PV 48, que ajuda cerca de 2,4 mil crianças no futebol. São oito campos espalhados que recebem crianças carentes. É importante sempre ajudar, repartir. E, agora, neste momento, qualquer ajuda é bem-vinda”, conta o goleiro em uma entrevista para o programa Show de Esportes, da Rádio Gaúcha.

Fora do Brasil, astros de diversas modalidades também se mobilizaram para ajudar no combate ao coronavírus, como é o caso do irlandês Conor McGregor, lutador do UFC, que doou um milhão de euros para a compra de suprimentos médicos. Também se destacam como exemplos os jogadores Messi e Cristiano Ronaldo, que doaram o mesmo valor cada para hospitais, além do tenista suíço Roger Federer e sua esposa Mirka, que doaram um milhão de francos suíços para as famílias mais vulneráveis da Suíça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo