Cidades

Jiquiriçá: Serrarias são interditadas e proprietários processados

Operação conjunta organizada pelo delegado Dr.º Alex Wendel, Inema e COPPA, resultou na interdição de duas serrarias na cidade de Jiquiriçá (à 258 km de Salvador) e instauração de dois procedimentos criminais relativos a crimes ambientais para os proprietários do mesmo. Segundo a polícia, na serraria situada na Rua dos Prazeres o proprietário Erasmo Alves Teixeira, foi conduzido para Depol, após constatação de que em sua serraria tinham pranchas de vinhático e sucupira preta, espécies predominantemente da mata atlântica nativa, consideradas madeiras de lei. Sendo que o proprietário não tinha nenhum documento que comprovasse a origem das madeiras, e/ou licença ambiental. Erasmo foi ouvido em termo de interrogatório e liberado.

Ainda conforme o Inema, na segunda serraria, situada na localidade da casa da farinha, o proprietário conhecido por “Van” não foi localizado, mas os 03 funcionários presentes foram conduzidos para a Depol, servindo como testemunhas, onde comprovaram as atividades ilícitas de “Van”, relatando o esquema de compra e venda de madeiras ilegais que costumavam chegar à serraria apenas durante o período noturno e eram rapidamente descarregadas para não chamar atenção, No local foram encontradas na serraria vários tipos de madeiras de lei proveniente da mata atlântica nativa entre elas: vinhático, Camaçari, sucupira, louro, Ingaçú e Baçoré, sendo que os peritos do Inema confirmaram e localizaram essas madeiras de lei na referida serraria, que também foi interditada. Nesta serraria ainda foi descoberto um sistema de monitoramento com câmeras com infravermelho, e vários livros de contabilidade, relativos a transações comerciais da serraria, então todo esse material foi apreendido para serem analisados detalhadamente.

O Inema aplicou administrativamente multas para os proprietários das serrarias, além de lacra-las oficialmente. A Autoridade Policial apreendeu todos os maquinários das duas serrarias inúmeros motores, serras, eixos, lixadeiras, correias, etc, e madeiras diversas. A autoridade policial, pede e conclama a população das cidades do Vale do Jiquiriçá para denunciar os crimes ambientais, e outros crimes (pedofilia, tráfico de drogas, foragidos da justiça, etc), no e-mail: [email protected]  (seu nome e seu endereço não serão divulgados).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo