Saúde

Já ouviu falar em Clamídia ou Tricomoníase? Cuidado! Elas são algumas das DSTs pouco conhecidas

Quando se fala em doença sexualmente transmissível (DST), o maior medo das pessoas é a contaminação pelo vírus HIV. No entanto, muitas outras doenças podem ser contraídas através da relação sexual, algumas mais conhecidas, como a gonorreia e a sífilis, e outras das quais pouco se ouve falar. É sobre duas dessas últimas que trataremos neste artigo. 

A clamídia é uma doença sexualmente transmissível, causada pela bactéria Chlamydia trachomatis. Acomete os órgãos genitais masculinos ou femininos. Existem apenas três tipos de Chlamydia. São elas: Chlamydia trachomatisChlamydia pscittaci e Chlamydia pneumoniae e todas elas causam doenças aos seres humanos. A espécie trachomatis causa cegueira e DSTs. A espécie pneumoniae causa doenças respiratórias semelhantes à pneumonia causada por micoplasmas. A espécie psitaci, por sua vez, causa ornitose (doença respiratória nos pulmões) e é transmitida pelas aves.

Essa doença pode atingir tanto homens quanto mulheres. Nas mulheres, a bactéria inicialmente infecta o colo uterino e a uretra. Mulheres infectadas podem apresentar secreções vaginais anormais e sensação de queimação ao urinar. Quando a infecção se propaga do colo para as trompas, ainda pode permanecer assintomática. Outras mulheres podem  apresentar  dores no abdômen inferior, náuseas, febre, dor durante a relação sexual e sangramento entre os ciclos menstruais. No caso dos homens, podem apresentar secreções no pênis ou sensação de queimação ao urinar, queimação e coceira ao redor da abertura do pênis ou, ainda, dor e inchaço nos testículos.

É considerada uma doença silenciosa e o interessante é que 75% das mulheres e 50% dos homens infectados não apresentam sintomas. Quando a sintomatologia se torna evidente, geralmente se manifesta de uma a três semanas depois da contaminação através da relação sexual.

 

Os homens ou mulheres que tiverem relação sexual anal receptiva podem adquirir infecção da clamídia no reto, o que pode causar dor na região, secreções ou sangramento. A clamídia também pode acontecer na garganta de homens e mulheres que tiveram sexo oral com parceiros infectados. Por se tratar de uma doença sexualmente transmissível, o uso de camisinha (mesmo em sexo anal ou oral) e higiene pós-coito são medidas extremamente necessárias. 

 

O tratamento é feito sob orientação médica, pois depende do tempo da infecção e é realizado pelo uso de antibióticos por tempo determinado pelo médico. Durante o tratamento, recomenda-se que o indivíduo não tenha nenhum tipo de contato íntimo e que seu parceiro também siga o mesmo tratamento, para evitar uma recontaminação com o agente causador da doença. Entre os antibióticos usados, podemos citar: doxiciclina, eritromicina, azitromicina, entre outros. Após o tratamento, faz-se novo exame para avaliar se o paciente realmente apresenta-se negativo para clamídia. Tanto o homem quanto a mulher podem ser curados.

 

A tricomoníase é uma infecção sexualmente transmissível causada pelo parasita Trichomonas vaginalis. É uma doença encontrada em todo o mundo. Nos Estados Unidos, o maior número de casos é observado em mulheres de 16 a 35 anos de idade. O Trichomonas vaginalis é disseminado através do contato sexual com um parceiro infectado e isso inclui tanto a relação pênis-vagina quanto o contato vulva-vulva. O parasita não sobrevive na boca ou no reto.

Ocasionalmente, alguns homens com tricomoníase podem desenvolver prostatite ou epididimite causada pela infecção.

 

Quanto ao tratamento, o antibiótico metronidazol é comumente usado para curar a infecção. Uma droga mais nova, chamada tinidazol, pode está sendo usada. O paciente não deve ingerir bebidas alcoólicas enquanto estiver tomando o medicamento e nas 48 horas posteriores. Se forem ingeridas bebidas alcoólicas, pode ocorrer náusea severa, dor abdominal e vômitos. 

O paciente também deve evitar relações sexuais até que o tratamento seja concluído. Os parceiros sexuais devem ser tratados simultaneamente, mesmo se não apresentarem sintomas. É importante lembrar que quem tiver sido diagnosticado com uma infecção sexualmente transmissível deve fazer teste também para outras doenças sexualmente transmissíveis. No caso da tricomoníase, as pessoas infectadas podem ser curadas. Ibahia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo