GeralNotícias

Isidório sobre o GGB: “Esse grupo é uma rede da desgraça”

SARGENTO ISIDÓRIODeus, pênis, vagina, homem, mulher e homossexualismo. Estes foram os termos que fizeram parte das declarações polêmicas do deputado sargento Isidório (PSB), que mais uma vez voltou a afirmar em público que deixou de ser homossexual e dependente químico há 18 anos. “Sou laranja de Deus, que me honrou como deputado. Tudo que tenho é para o trabalho”, disse em entrevista concedida para o Se Liga Bocão, da Itapoan FM, na noite desta segunda-feira (22).
Na pauta de discussões levantadas pelo deputado, o quesito principal: “você já viu casamento de mulher com mulher”?, disse ao apresentador Zé Eduardo, quando questionado sobre o que achou sobre a atitude de Daniela Mercury em asssumir um relacionamento com a jornalista Malu Verçosa. “Acho que o gay é coisa do diabo. Ela cantava ‘amor de julieta e Romeu. Então, eu também cantava e dançava com ela. Mas aí, ela muda de uma hora para outra e quer o amor de Julieta com Julieta? Isso é porque faltaram os negócios de Deus. sou contra a Daniela por ela fazer deserviço à nação. Homem nasceu para homem? Onde tem isso na bíblia? Isso é abominação, é perverso. É um amor torpe”, afirmou.
O deputado aproveitou a oportunidade para relatar o que chamou de cura, sem deixar de embalar cânticos gospel entre as declarações. “Tiro uma mulher do homossexualismo. É só voltar ela para Deus. A mulher nasce com vagina. E não posso nem chamar xereca, mas enfim. O homem nasce com pênis. Quero ver a mulher entrar com um bilau. Se ela é mulher vai querer alguma coisa. / O Sangue de Cristo liberta, a palavra de Deus é a nossa”, pregou.
Apesar de deixar claro que considera o gay coisa do diabo, Isidório explicou que “não tenho nada contra o homossexual. Tenho contra a prática. A invenção do homossexualismo é do diabo. Mas, o homossexual, o ladrão, são de Deus. Não sou radical”, disse.
O deputado ressaltou ainda que “quem vai mandar agora é a ditadura gay”, referindo-se ao fato dos homossexuais lutarem pelos seus direitos. “Nós héteros teremos que nos curvar. Fazemos piada com Deus, com o papa, até com Bocão, mas com bicha não pode porque senão vai preso. Vão ter que transformar todas as escolas e hospitais em presídios”, pontuou.
Isidório ainda disparou contra o presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), Luiz Moti, afirmando que ele não acredita em Deus. “Eu percebo”.
Em seguida, após o deputado saber que o outro representante do GGB, Marcelo Cerqueira, avaliara as declarações dele como “sensacionalismo” e “uma tentativa de querer ser o deputado Marco Feliciano”, além de ser considerado “louco” e “desequilibrado”, Isidório rebateu de uma só vez: “Esse grupo é uma rede da desgraça. Esse grupo gay tem uma inteligência miserável. Eu falo a linguagem de Deus e não posso negar a palavra de Deus. Ou você vai dizer que o pai e a mãe já olha para o filho e diz: Eta, já vai nascer minha gayzinha aqui, meu viadinho tá nascendo aqui. Os gays querem destruir as famílias”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo