Política

Ida de Neto para o PMDB não é descartada, mas 2016 e 2018 devem ser observados

GEDELL E ACM NETOAo jurar de pés juntos que não há nenhuma articulação entre o vice-presidente do Brasil, Michel Temer, e o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), para que o demista se torne um peemedebista, o presidente estadual do PMDB, Geddel Vieira Lima, não ‘carta’ e nem descarta a possibilidade.

“Não houve conversas entre Temer e Neto sobre isso. Sou amigo de Temer há trinta anos e sei que não houve”,  afirmou Geddel em conversa..

O peemedebista revela, no entanto, que estava agendada uma conversa entre ele e Neto na semana passada, mas por motivos pessoais o encontro não aconteceu. “Mas vamos conversar. E não for essa, será na próxima semana”, adiantou.

Tempo atrás, surgiu uma conversa sobre a possibilidade de haver fusão entre o DEM, PMDB e PTB. Os peemedebistas não levaram o assunto adiante, mas demistas e petebistas tocaram as negociações, mas no fim da semana passada baterem em retirada.

A possível entrada de Neto no PMDB não é um processo simples. Algumas variáveis devem ser observadas.  Como ficaria 2016 com a ida dele para reeleição. O PMDB perderia a vaga na vice? Em 2018, tanto Neto quanto Geddel Vieira Lima têm pretensões de disputar o governo do Estado. Quem abriria mão para quem?

A mudança de Neto para um partido maior significa mais tempo de exposição no horário de televisão durante campanha eleitoral.

Bocão News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo