Cotidiano

Gualberto cogita apoiar Ciro e diz que entre Bolsonaro e Lula vota no atual presidente de novo

O prefeito de Mata de São João, João Gualberto (PSDB), disse em entrevista à Tribuna da Bahia que não se arrepende de ter votado no presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na eleição de 2018, e ressaltou que, se no segundo turno for um confronto entre o capitão reformado e o ex-presidente Lula (PT), ele votará novamente no atual chefe do Palácio do Planalto no pleito do próximo ano. 

Para Gualberto, tanto Bolsonaro quanto Lula são favoráveis à polarização porque ambos se beneficiam. “Se for Bolsonaro e Lula, eu voto em Bolsonaro de novo. Só que Deus me livre que aconteça isso de novo. A gente não quer isso para o Brasil”, declarou o tucano.

“Tanto é que Bolsonaro só quer disputar com Lula, e Lula só quer disputar com Bolsonaro. Todos os dois sabem que qualquer um deles que disputar com um nome diferente, está perdida a eleição. Se disputar os dois, eles sabem que têm 50% de ganhar, um ou outro. Se for Lula com um candidato da centro-direita, Lula já perdeu. Ele sabe disso. A mesma coisa é o Bolsonaro. Com quem eu converso, com todo mundo, pelo menos com quem me relaciono, diz que não quer votar em nenhum dos dois. Basta surgir um nome e começar a crescer, que ele sobe. É a minha visão hoje”, acrescentou. 

Gualberto, que já foi deputado federal e presidente do PSDB na Bahia, afirmou ainda que apoiaria o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), em um cenário sem a presença de um candidato tucano. “Se tiver Bolsonaro, Ciro e Lula, por exemplo, e o PSDB não tiver (candidato), zero de dificuldades (de votar em Ciro). Neste contexto, com Bolsonaro, Lula e Ciro, eu sou Ciro. Não tenha dúvida”, frisou. “Se espera que tenha um nome de consenso no centro, não sei se vai acontecer. Todos os partidos naturalmente agora vão discutir possibilidades”, emendou. 

O prefeito negou qualquer possibilidade de o PSDB nacional interferir no diretório baiano. Segundo ele, a Executiva estadual é quem decidirá sobre o apoio na eleição baiana. “Nunca existiu isso no PSDB (de interferir na Bahia). Não existe essa possibilidade. Zero. (As decisões são locais) sempre foi assim. Não só na Bahia, mas em todos os estados. O PSDB não é cartório. São diretórios. Diferentemente de outros partidos, o PSDB tem respeito pelos estados, pelos diretórios estaduais. Nunca existiu (intervenção). Não vai ser agora que vai existir”, ressaltou.

Bnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo