Cotidiano

'Gays devem morrer,' disse muçulmano em mesquita de Orlando

Sheikh Farrokh SekaleshfarUm estudioso islâmico, que discursou no início deste ano em uma mesquita de Orlando, já havia defendido, em 2013, que gays deverias ser mortos pela lei islâmica.

Sheikh Farrokh Sekaleshfar disse que assassinato de homossexual é uma coisa que deve ser feita por “compaixão”: “A morte é a sentença. Sabemos que não há nada para se envergonhar disso, a morte é a pena. “

Segundo o site WND, o Dr. Farrokh Sekaleshfar admite que a sentença de morte islâmica se aplica em circunstâncias limitadas e não é aplicável no âmbito da lei dos Estados Unidos. Mas ele também diz que a única maneira que homossexuais podem ser perdoados é através da morte.

“Nós temos que ter essa compaixão para com as pessoas, com os homossexuais, é o mesmo”, disse Sekaleshfar. “Sem compaixão vamos nos livrar deles agora”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo