GeralNotícias

Gasolina vai subir 4% nos postos, diz Mantega

listas_posts_62502_jpg_200_200_2_0__jpgA alta no preço da gasolina nos postos de combustíveis será de 4% e pode ser absorvida pelo consumidor, afirma o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Já a alta do preço da gasolina nas bombas é menor do que a alta de 6,6% anunciada ontem pela Petrobras. Isso acontece porque a gasolina recebe uma adição de 20% de álcool nos postos, produto com preço menor. “Faz muitos anos que o preço da gasolina está defasado em relação à inflação. É uma pequena correção que não vai atrapalhar ninguém”, disse o ministro a jornalistas em encontro com prefeitos promovido pelo governo federal. Mantega avalia que a queda na tarifa de energia, nos juros e outras desonerações previstas para o consumidor ao longo de 2013 vão “compensar” o aumento no valor do combustível. A Petrobras também anunciou ontem o aumento no preço do óleo diesel, que será de 5,4%. A Fazenda avalia que a subida nos preços dos combustíveis causará uma alta de 0,16 ponto percentual no acumulado deste ano do IPCA, o principal índice de inflação no país. Em anos anteriores, o governo absorveu altas dos combustíveis nas refinarias da Petrobras com a extinção da cobrança da Cide (imposto federal dos combustíveis). Este ano, Mantega acredita que o consumidor tem condições de absorver esse aumento.

ETANOL

O governo federal também estuda aumentar a proporção de etanol na mistura com a gasolina. Este assunto será discutido nesta quarta-feira (30) na Fazenda com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.

REAJUSTE

O reajuste na gasolina e no diesel vai injetar R$ 600 milhões mensais no caixa da companhia e aliviar as perdas com a diferença dos preços nos mercados externo e interno. O reajuste da gasolina nas refinarias da Petrobras será o primeiro com impacto ao consumidor desde 2005 — desde então o governo abria mão da arrecadação do Cide (tributo federal dos combustíveis) para anular a alta nos postos. Como esse tributo foi zerado no ano passado, ele não pode mais ser usado para compensar reajustes. (Folha)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo