Entretenimento

Foliões do bloco Muquiranas são acusados de misoginia, transfobia e homofobia

As atitudes de alguns foliões do bloco As Muquiranas têm sido amplamente condenada por diversas mulheres e LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), os quais relatam casos de misoginia, transfobia e homofobia durante o Carnaval de Salvador. Diversos relatos foram publicados em redes sociais.

“Por mim extingue as muquiranas. Nós, mulheres, LGBTQ… etc não suportamos mais essas agressões. Seu amigo legal pode sair na muquiranas e por isso você defende, mas 97% desse bloco agride. Molham deliberadamente na cara, a pressão da água em alguns casos machuca a pele, puxam cabelo, passam a mão no corpo dos outros, tentam agarrar a força. Podem até mudar o nome do bloco para União do Ego Machismo e Homofobia Dispostos a Agressão Gratuita e Deliberada”, relata uma vítima.

Ela conta que até já tentou se defender do comportamento abusivo desses foliões. “Já chutei até saco de um dos quando caminhava tranquilamente pra casa (campo grande) e além de ofender meu amigo homossexual que estava voltando comigo, esvaziou uma arma de água nas costas de minha amiga de vez deixando- a encharcada assim que saiu de casa e com as costas vermelhas por causa da pressão do jato. Muquiranas são insuportáveis. E essas armas de água tão na hora de serem proibidas porque os imbecis são os que mais usam já procurando confusão”.

Outra pessoa que sofreu constrangimento afirma que “nada é mais misógino e desrespeitador, do que usurpar a imagem feminina como uma forma tão baixa de agredir, desrespeitar e humilhar as pessoas, principalmente às próprias mulheres e LGBTQI. Esses muquiranas hoje estão se transformando em verdadeiros terroristas da folia”.

Outro folião relatou que quase chegou a brigar com um credenciado do bloco. “Sobre os Muquiranas, eu acabei quase me atracando com um no Campo Grande na terça de carnaval, ele me molhou com a pistola e eu pedi gentilmente que ele parasse e ele se sentiu no direito de continuar, isso tudo muito próximo a policiais militares e nada foi feito, eu meti a mão pelo meio da cabeça do imbecil que acabou correndo pra atirar água de longe e eu fui correndo atrás dele e ele me ameaçou dizendo que ia chamar o bonde dele, isso tudo enquanto continuava espirrando aquela maldita água gelada em mim, resultado, eu saí molhada, mas ele saiu todo arranhado e com a fantasia rasgada. Oxe, não sou obrigada a “guentar” macho escroto”.

Com cerca de 20 mil associados, o bloco As Muquiranas surgiu em 1965. Neste ano, cada folião cadastrado pagou R$ 780 pela fantasia. Quem não é associado pagou R$ 830. O bloco desfilou no sábado, na segunda e na terça de Carnaval, no circuito Campo Grande.

Bocãonews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo