Cidades

Ferry Agenor Gordilho será afundado em julho, estima secretário do Turismo

O ferry-boat Agenor Gordilho será afundado em julho, estimou nesta quarta-feira (19) o secretário de Turismo da Bahia, Fausto Franco. Parada desde o fim de 2017, a embarcação vai virar atração turística na Baía de Todos os Santos. Além dele, o rebocador Vega terá o mesmo destino. Com a medida, o governo pretende criar recifes artificiais, que farão parte do Parque dos Naufrágios Artificiais da Bahia.

Segundo o secretário, está “tudo pronto” para o afundamento proposital das embarcações. A ideia é que o evento ocorra em um dia de sábado.

“A gente resolveu segurar um pouquinho porque essa época tem chovido bastante. A ideia é fazer um congraçamento náutico também, convidando os clubes náuticos para participarem, já que o afundamento vai ser realizado aqui muito próximo à costa, na altura do Corredor da Vitória”, explicou Fausto ao BNews. 

O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) emitiu no dia 13 de maio deste ano a autorização ambiental para que o naufrágio seja feito. 

As embarcações passaram pelo processo de retirada de peças que podem representar riscos aos mergulhadores e também de todo o material tóxico, principalmente do casco do ferry e do rebocador, para evitar danos ao meio ambiente. 

Para o advogado Zilan Costa e Silva, especialista em direito marítimo, a iniciativa vai trazer muitos dividendos para o turismo de Salvador.

“Acho uma ideia genial. É muito adequado para Salvador. Combina com sua importância no turismo brasileiro. O turismo de mergulho é um turismo que tem maior valor agregado, mais uma área de interesse para turistas”, destacou

O ferry-boat fez a travessia Salvador-Mar Grande durante 45 anos. A cada viagem, transportava, em média, 600 passageiros e 90 veículos. 

Bnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo