Cotidiano

Feira: Estiagem causa desespero e trabalhadores rurais se dizem abandonados pelo poder público

Seca, o gado morrendo, sem perspectivas de plantio e até água para beber e para o consumo do dia a dia. Essa é a situação de centenas de famílias da zona rural do município de Feira de Santana. Os trabalhadores estão desesperados e reclamam que se sentem abandonados. Os poucos carros-pipa distribuídos pela prefeitura e pelo governo do estado são insuficientes e demoram a chegar. O pequeno pecuarista Almir Lopes Pereira, da comunidade de Venda Nova, no distrito de Maria Quitéria, relatou para a reportagem do Acorda Cidade o drama que está vivendo.

Ele contou que as aguadas estão todas secas e a água dos carros-pipa enviados pela prefeitura é insuficiente. Não há água encanada e nem água para os animais.“Moro aqui há 42 anos com a minha família. Antigamente era melhor, hoje está pior. Não temos água para nada. O gado temos que levar para Amélia Rodrigues e pagamos o aluguel de pasto para que eles não morram. Aqui no distrito a situação está muito triste e já morreram mais de cem animais.

A gente estava cortando mandacaru e dando para eles se alimentarem, mas nem mandacaru tem mais”, lamentou. Na Fazenda Lizíbia, que fica localizada entre os distritos de Jaguara e Maria Quitéria, o trabalhador rural Jorge Pereira dos Reis, confirmou as dificuldades enfrentadas pela estiagem e a falta de água. Ele levava mandacaru no lombo de um jumento para alimentar a sua criação. “Estou tirando o mandacaru da fazenda do vizinho. Dou ele puro para o gado comer. Muitos animais morreram e nessa fazenda já perdemos mais de vinte cabeças”, afirmou. Ana Célia de Jesus Oliveira, conhecida como Dona Nenca, é uma pequena comerciante da Fazenda Lizíbia.

Ela comentou que estava muito triste e preocupada com a situação de falta de água que está vivendo, assim como outras famílias do distrito.“Aqui não tem água para beber, nem pra cozinhar, nem para lavar. Passamos muitas dificuldades principalmente com as crianças e com os idosos. Não temos água encanada e nem outros reservatórios. As crianças ficam nuas porque não suportam o calor e não há água para tomar banho toda hora.

A única água que temos é a que vamos buscar no Rio Jacuípe. Uma água de coloração verde. Passamos com essa água para fazer nossas coisas”, destacou. O governo do estado, através da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), disponibilizou quatro carros-pipa para abastecer a zona rural de Feira de Santana e a prefeitura alugou 2 carros. Ao total são 12 veículos que estão fazendo o abastecimento da região. A secretaria municipal de agricultura informou que está fazendo a limpeza das aguadas e preparando os reservatórios naturais para aguardar a chegada das chuvas. (Acorda Cidade)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo