Cidades

Falta de prisioneiros é problema grave na Holanda

presidio-holandaCerca de um terço das celas nas prisões holandesas estão agora vazias por causa da redução considerável dos níveis de criminalidade no país, segundo a edição local Dutch News.

O número de presos nos últimos anos tem vindo a diminuir consideravelmente, com apenas 69 presos por 100.000 habitantes, enquanto a taxa de 2006 era de 125 por 100.000. Qualquer governo preferiria gabar-se de tal sucesso, embora a situação seja muito mais complicada do que parece à primeira vista.

Primeiramente, para o governo holandês é difícil financiar a manutenção de edifícios não utilizados e pagar salários a pessoas que, obviamente, não vigiam ninguém. Esta foi a razão de o Governo ter fechado várias prisões nos últimos anos e feito uma reestruturação dos serviços penitenciários. Para ilustrar, uma das prisões é agora um hotel de luxo em Amsterdam, cujos quartos mais caros são denominados “O advogado”, “O juiz”, “O Governador” e “O carcereiro”, de acordo com a BBC.

As celas até são alugadas para albergar prisioneiros de outros países. No ano passado, o governo recebeu prisioneiros da Noruega e Bélgica. As autoridades destes países pagaram 25,5 milhões de euros por este acordo, que permitiu manter 240 postos de trabalho no sistema prisional holandês.

Ao mesmo tempo, muitos ativistas dizem que o fato de as celas estarem vazias não é devido à redução de crimes, mas sim à falta de punição dos criminosos.

Madeleine van Toorenburg, ex-diretora de uma prisão e porta-voz da justiça criminal do Partido Democrata Cristão, de oposição, critica a tendência do governo de fechar as instituições prisionais, salientando que o país tem uma das mais baixas taxas de detenções na Europa.

“A polícia está sobrecarregada e não consegue lidar com a carga de trabalho”, diz ela. “E qual é a resposta do governo? Fechar prisões. Para nós, isso é surpreendente.”

Noticias ao Minuto

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo