Cotidiano

Ex-caseiro de Cid Moreira confirma maus tratos da esposa ao jornalista

A briga judicial dos filhos de Cid Moreira contra à madrasta Fátima Sampaio ganhou mais um capítulo. Uma das duas novas testemunhas do caso, conforme apresentado na semana passada, é o ex-caseiro do jornalista de 26 anos de serviços prestados, que confirma maus tratos ao veterano.

Em depoimento, o ex-funcionário relata que o tipo de tratamento que presenciou, a exemplo das refeições que eram servidas ao patrão. “[A comida] era horrível. (…) A comida sai da geladeira, esquenta, vai para a mesa, passa duas horas na mesa, depois volta para a geladeira. [Era] 15 dias fazendo isso. Era pizza todo dia. E daquelas pizzas horríveis. Ela [Fátima] fazia [a pizza], ficava um tempão lá na geladeira. Era todo dia pizza”, denuncia.

No documento em que o site Notícias da TV teve acesso, o caseiro narra também situações em que o jornalista ficava sozinho. “Era todo dia. O coitado ficava igual um bicho preso na jaula, porque ali [na casa] tem que botar aquelas grades. Senão, entra bicho toda hora dentro de casa. (…) Ela sumia, só chegava à noite. Dizia que ia ao salão, que estava fazendo esse negócio de ginástica que ela faz”, comenta.

Já sobre as agressões, o ex-funcionário disse que certa vez o patrão apareceu com um olho roxo sem explicações, mas não confirma ter presenciado a violência. No entanto, para o advogado dos filhos de Cid, Angelo Carbone, a descrição apresentada é suficiente para comprovar as agressões.

O caseiro que trabalhou para Cid Moreira por 26 anos noticia que Fátima o pôs para fora, que a comida que ela dava ao Cid era muito ruim, que ela manipulava tudo, que ela assinava os contratos por ele [que as assinaturas não partiam do punho dele]”, aponta. “[O caseiro noticia] que ela agredia ele [o marido], com lesões corporais. Que ele [Moreira] não é mais aquele homem. Mas, sim, uma criança. [O ex-empregado] fala sobre a vida íntima da Fátima. Vincula ela à família [que chamamos de quadrilha], com modus operandi idêntico. Que [ela] maltrata Cid Moreira. O declarante está à disposição da Justiça para narrar os bens, veículos e valores que ela dá para amigos, parentes ou suas amizades, e que não para em casa”, completa.

Ao se referir à quadrilha, o representante de Roger e Rodrigo Moreira compara a madrasta ao seu irmão, que é acusado de ter mantido  a sogra idosa em cárcere privado e depenado seus bens. “Note-se ainda que ela manipula bens e valores, pactua contratos com assinaturas falsas do Cid Moreira, e faz tudo para deixá-lo sem nada e nas mãos da quadrilha. Fátima empresta dinheiro a juros e toda a gama de fórmulas para burlar o fisco”, finaliza o advogado.

A afirmação traz também como base um novo trecho do depoimento do ex-funcionário. Certa vez, ela mesma teria confidenciado ao trabalhador que havia dado R$ 50 mil para uma colaboradora. “Ela disse que foi emprestado. Mas acho que não. A primeira vez foi R$ 25 mil. Depois, passou um tempo, ela [a colaboradora] pediu mais R$ 25 mil. Acho que era para montar um escritório”, destacou ele.

Além disso, o homem narrou a vez em que todos os funcionários da casa tiveram conhecimento de que um outro empregado havia recebido um caminhão de Fátima. O veículo, no valor de R$ 80 mil, teria sido comprado no nome do colaborador.

Bnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo