GeralNotícias

Estudante da UFRB morre com suspeita de doença rara transmitida pelo carrapato

redimensionaNa terça-feira (9), Matheus Wagner Pessoa, de 30 anos, morreu após dar entrada no Hospital Clériston Andrade no dia 24 de junho com fortes dores no corpo, febre alta e diarreia com jatos de sangue. No atestado de óbito consta como causa da morte a babesiose. Matheus cursava na UFRB o penúltimo ano de medicina veterinária, na cidade de Cruz das Almas.

“Eu fiquei sabendo quando o médico disse: ‘Olha, tem uma suspeita forte aqui, já foi descartada a leptospirose, a cirrose, então tem a suspeita de uma doença transmitida pelo carrapato'”, lembra Maria Tereza Pessoa, mãe de Matheus.A 2ª Diretoria Regional de Saúde (Dires) aguarda que a médica que está à frente do levantamento dos casos em Feira de Santana envie as amostras de sangue dos pacientes com suspeita da doença para que sejam testadas pelo Laboratório Central da Bahia (Lacen).Segundo o diretor da Dires, dois exames feitos pelo Lacen e pelo laboratório da Fiocruz, no Rio de Janeiro, já tiveram o resultado liberado e deram negativo. Edyr Gomes diz que está aguardando também o resultado do exame do estudante Matheus.”O atestado de óbito a gente não vai questionar, nem contestar, porém não existe nenhum caso de babesiose notificado através de nenhum órgão do estado desde 1983″, afirma Edyr Gomes, diretor da Dires.

Doença A babesiose é uma doença infecciosa rara, transmitida pelo carrapato contaminado com um protozoário. A contaminação do parasita ocorre quando ele se alimenta com o sangue de um animal com babesiose.Segundo os médicos, para que a doença seja transmitida pelo carrapato para uma pessoa é necessário que ele sugue o sangue da vítima por um período mínimo de quatro horas. As informações são da TV Subaé.Fonte: Mídia Recôncavo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo