GeralNotícias

Estátua de Pelé pode não voltar à Fonte Nova por problemas com Fundação Gregório de Matos

ESTATUA PELÉA estátua do ex-jogador Pelé, que durante muito tempo enfeitou a entrada da Fonte Nova, pode não ser incluída na nova versão do estádio. A obra, esculpida por Lucy Viana em 1971, está na casa do arquiteto Kleber Sebá, desde que foi restaurada por Márcia Magno, em 2007. De lá para cá, a restauradora já realizou inúmeras cobranças à Fundação Gregório de Matos para a quitação do valor acordado para reconstruir os dois braços e a taça segurada pelo esportista no monumento, roubados em 2006. A artista diz que o valor firmado com a instituição foi R$ 20 mil. “Recebi R$ 15 mil, e o resto, segundo a fundação, seria pago pela Sudesb [Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia], responsável pela Fonte Nova, mas não recebi”, conta. A fundação confirma o pagamento e confessa que o acordo com a Sudesb para quitar o restante teria sido feito “de boca”. “O trabalho foi feito e a peça não foi recolada no local na época porque logo aconteceu aquela tragédia no estádio [que vitimou sete pessoas] e depois porque a construção foi demolida. Mas vamos retomar a conversa com a Sudesb para resolver essa questão”, promete Marco Antônio, gerente de sítios históricos da fundação. Já a Sudesb diz que não há como abrir um processo para pagar uma dívida de 2007. “A fundação fala o que quer. Nós não temos tratativas com essa artista, que sequer a conheço. Todo o processo de contratação foi feito por eles [a fundação]”, rebate Raimundo Nonato Tavares, o Bobô, diretor do órgão, que diz ainda não saber qual será o destino da escultura  “Encaminhei uma comunicação à administração da nova arena para saber se a obra cabe no novo projeto e até agora não recebi resposta”, afirma. Com informações do A Tarde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo