Slide

Escutas apontam aval de Agnelo a grupo de Cachoeira

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), deu aval para que o esquema comandado pelo contraventor Carlinhos Cachoeira explorasse linhas de ônibus antes do lançamento da licitação para o serviço, apontam novas interceptações telefônicas feitas pela Polícia Federal. Segundo as escutas, os diretores da Delta Construções, empresa suspeita de envolvimento no esquema, chegaram a agendar uma reunião com o governador para o dia 29 de fevereiro, quando foi deflagrada a Operação Monte Carlo, que prendeu Cachoeira. Em um dos diálogos gravados com autorização judicial, o araponga Idalberto Matias, o Dadá, conta ao ex-diretor da Delta no Centro-Oeste, Cláudio Abreu, que interlocutores de Agnelo, entre eles o ex-servidor da Casa Militar Marcello Lopes, o Marcelão, lhe deram sinal verde para que a empresa entrasse no negócio. A licitação para o serviço de transporte foi lançada em 10 de março, mas o Tribunal de Contas do DF (TC-DF) a suspendeu em maio, ao justificar falhas no edital. A Secretaria de Transportes do DF informou que não é possível saber quais empresas disputariam a licitação, já que a suspensão foi determinada antes da abertura de propostas. Informações do Estadão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo