CidadesEducaçãoGeral

Escolas estaduais são orientadas a adotar ações preventivas contra novo coronavírus

As secretarias de Saúde e de Educação da Bahia —estado onde há dois casos confirmados do novo coronavírus— divulgaram nesta segunda-feira (9) um informativo em que recomendam professores, funcionários e alunos da rede estadual de ensino a adotarem medidas de prevenção contra a doença.

O documento, com base em diretrizes da OMS (Organização Mundial da Saúde (OMS), contém tópicos com orientações a serem seguidas por todos os membros da comunidade escolar.

Além de mencionar a importância de cuidados com a higiene pessoal, a fim de se evitar o contato direto com secreções de uma pessoa eventualmente infectada pela covid-19, o manual aconselha a suspensão de atividades que envolvam grandes aglomerações em ambientes fechados.

A doença, causada pelo vírus SARS-CoV-2, é um agente relacionado a infecções respiratórias, que podem apresentar-se com um quadro semelhante às síndromes gripais.

“Sua transmissão, com base no conhecimento científico adquirido até o presente momento, ocorre através da entrada do vírus no trato respiratório, através do contato com gotículas de secreções, a exemplo muco nasal. Isso pode acontecer através do contato direto com as secreções da pessoa infectada, pela tosse ou espirro, ou de forma indireta, pelo contato com superfícies e utensílios contaminados, levando-se as partículas ao nariz ou à boca através das mãos”, diz trecho do informativo.

O secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, diz que as orientações valem tanto para prevenção da disseminação do coronavírus quanto para manejo de possíveis infectados.

Entre os 25 casos de coronavírus confirmados no Brasil até então, dois são na cidade de Feira de Santana (a 109 de Salvador), onde houve contágio domiciliar entre uma paciente de 34 anos e uma trabalhadora doméstica, de 42, quando a primeira paciente ainda estava sintomática.

A seguir, as medidas recomendadas na rede estadual:

Medidas institucionais
• Promover, em parceria com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), ações de divulgação das medidas preventivas nas escolas;
• Promover atividades educativas sobre higiene de mãos e etiqueta respiratória (conjunto de medidas comportamentais que devem ser tomadas ao tossir ou espirrar);
• Recomenda-se a aquisição de sabonete líquido e/ou álcool em gel (70%), a fim de estimular a correta higienização das mãos. Sempre que possível, utilizar dispensadores de sabonete líquido, suporte de papel toalha e lixeiras com tampa por acionamento por pedal nos lavatórios e banheiros. Já os dispensadores de preparações alcoólicas para as mãos devem ser instalados em pontos de maior circulação, tais como: recepção, corredores de acessos à sala de aulas e refeitório;
• Estimular o uso de lenços de papel, bem como seu descarte adequado;
Realizar a limpeza e desinfecção das superfícies das salas de aula e demais espaços da escola (classes, cadeiras, mesas, aparelhos, bebedouros e equipamentos de educação física) após o uso. Preconiza-se a limpeza das superfícies, com detergente neutro, seguida de desinfecção
(álcool 70% ou hipoclorito de sódio);
• Evitar compartilhamento de copos e vasilhas;
• Estimular o uso de recipientes individuais para o consumo de água, evitando o contato direto da boca com as torneiras dos bebedouros;
• Lavar regularmente os brinquedos com água e sabão;
• Manter os ambientes arejados por ventilação natural (portas e janelas abertas);
• Evitar atividades que envolvam grandes aglomerações em ambientes fechados, durante o período de circulação dos agentes causadores de síndromes gripais, como o novo coronavírus (COVID-19);
• Manter a atenção para indivíduos (estudantes e profissionais) que apresentem febre e sintomas respiratórios (tosse, coriza, etc.). Orientar a procura por atendimento em serviço de saúde e, conforme recomendação médica, manter afastamento das atividades;
• Comunicar às autoridades sanitárias a ocorrência de suspeita de caso(s) de infecção humana pelo novo coronavírus (COVID-19);
• É recomendado a mobilização das famílias e de toda a comunidade escolar, professores, gestores, coordenadores pedagógicos, técnico administrativos, profissionais da alimentação escolar;

Medidas individuais (profissionais, estudantes e responsáveis)

• Higienizar as mãos com água e sabonete/sabão antes das refeições, após tossir, espirrar ou usar o banheiro. Quando não houver sujidade visível, pode-se usar as preparações alcoólicas (álcool gel a 70%, por exemplo);
• Evitar tocar os olhos, nariz ou boca após tossir ou espirrar ou após contato com superfícies; – Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
• Aplicar a etiqueta respiratória: proteger com lenços (preferencialmente descartáveis) a boca e nariz ao tossir ou espirrar para evitar disseminação de gotículas das secreções. Na impossibilidade de serem usados lenços, recomenda-se proteger a face junto à dobra do cotovelo ao tossir ou espirrar;
• A criança que apresentar febre abaixo de 37.8°C, tosse e espirros devem permanecer em casa, em repouso com boa alimentação e hidratação;
• Atentar à presença de febre acima de 37.8°C que persiste por mais de 24 horas e desconfortos respiratórios como cansaço e dispneia. Se estiverem presentes, procurar um serviço de saúde e seguir recomendações médicas;
• O uso de máscaras por indivíduos sadios não representa, quando adotado de forma isolada, uma medida de prevenção. A lavagem das mãos e a etiqueta respiratória se constituem em medidas de maior efetividade. Além disso, o uso da máscara sem a lavagem das mãos e a etiqueta respiratória pode prejudicar sua eficácia na redução do risco de transmissão.

Alexandre Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo